Periodicidade: Diária

6/25/2022

  • comercioenoticias

UM PAÍS DOS “SALGADINHOS”!


Portugal vive uma situação absolutamente caricata, injusta e mesmo inqualificável. Está este pobre país “prisioneiro” de alguém que poderia estar preso, tais as suspeitas que sobre si impendem. Tal criatura é o retrato, falado, televisionado, engravatado, deste sítio, que já foi um país de homens grandes. Fosse ele um pobre pilha-galinhas e há muito que estaria atrás das grades. Mas não está e certamente nesta república de compadres e comadres nunca ficará, tal o intrincado das suas ligações.

Essas ligações, aliás profusamente ilustradas em tudo o que foi revista cor-de-rosa e mesmo jornais de “referência”, são em minha opinião o seu salvo-conduto para que se mantenha por aí, livre que nem um passarinho ou passarão, neste país onde todos estamos “detidos” e sob custódia do vizinho do lado ou do idiota passante. Assim resta o murmúrio, a entrelinha, no máximo a insinuação, mas não há político que se atreva a denunciar tais ligações depois de lhe terem ido “comer à mão”. O preço era alto, mas como sabiam que não era sobre eles que lhe viria a cair a conta, lá iam.

E se uns eram convidados a passear nos seus iates, outros a passar férias nas suas quintas, outros ainda porque houve um entrelaçar de famílias, a verdade é que de uma maneira ou outra todos beneficiaram da sua magnanimidade. Afinal os amigos são para as ocasiões e se forem boas ocasiões tanto melhor. Importante era manter a ideia de que havia “um dono disto tudo”, ainda que tudo se viesse a revelar quase nada, ou mesmo nada.


PUB.


Mas houve um tempo em que UM político não lhe teve medo, nem reverência: Pedro Passos Coelho! E aí o “império de pés de barro” desmoronou-se, aquilo que parecia um gigante económico era uma cratera sem fundo que ainda hoje estamos a pagar. Mas e por pagar, há sempre um preço a pagar e esse político pagou-o. A sanha era tanta que se fizeram acordos com os lesados pela criatura para ganhar votos. Era o vale tudo que ainda hoje vale.

O país pagou e vai pagar por muitos anos o preço da gerigonça montada à sombra da criatura. A essa a capacidade financeira restante chega-lhe para ter os melhores causídicos de Portugal ou mesmo do mundo, e como tal, não há justiça que lhe chegue. Compreensivelmente. A podridão do regime é de tal ordem que a mentira se tornou aceitável e a verdade dispensável. Mentir descaradamente é comum, inventar é vulgar, sonegar nem sequer é já novidade.

“Estupidez é saber a verdade, ver a verdade e ainda assim, acreditar nas mentiras”.

Artigo de Opinião de Edgard Carvalho Gomes


PUB.




256 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/5

press to zoom
Lino Martins - site
Lino Martins - site

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/9

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/7

onde comer

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/12
telefonesuteis.jpg
Abertura Piscinas.jpg
bannered.png
Gina Morais.png
RIOGRAFICA.jpg