• Comercio Noticias

SER SENHORIO NÃO É SÓ LUCRO: CUSTOS A TER EM CONTA NA HORA DE ARRENDAR UMA CASA

ARTIGO PATROCINADO PELA RIOMAGIC – A sua Imobiliária em Rio Maior

A forte procura no mercado de arrendamento gera boas oportunidades de rendimento para os proprietários. Mas também há vários gastos a considerar. Arrendar uma casa é, atualmente, uma importante fonte de rendimento passiva para muitas famílias portuguesas, num momento em que o setor imobiliário vive um forte dinamismo e a procura está em alta, muitas vezes excedendo a oferta e permitindo cobrar rendas mais altas. Mas nesta equação do arrendamento, nem tudo é lucro. Há gastos a ter em consideração.

Se tem uma casa para arrendar ou está a pensar em investir no mercado imobiliário para arrendamento, o melhor é informar-se bem sobre os custos a enfrentar na hora de ser senhorio e ler este artigo.

Imposto de Selo e IMI

Por cada contrato celebrado com os inquilinos terá que pagar o Imposto de Selo. Este corresponde a 10% do valor de uma renda. O valor é apresentado pela Autoridade Tributária depois da comunicação do contrato. Anualmente deve também contar com o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis), que corresponde à multiplicação da taxa do imposto estipulada para o ano corrente pelo Valor Patrimonial Tributário do imóvel.

Se o VPT do imóvel (ou da soma de outros imóveis que tenhas) for superior a 600 mil euros, deve ainda considerar o Adicional ao IMI (AIMI). Trata-se de um imposto anual e adicional, que ficou conhecido como o “imposto Mortágua”. Já se o VPT do imóvel (ou dos vários imóveis juntos) for entre 600 mil e 1 milhão de euros, o AIMI é de 0,7%. Entre 1 e 2 milhões deve pagar 1%. E se for superior a 2 milhões, o AIMI é de 1,5%.

Taxa de IRS sobre renda

O rendimento obtido através de arrendamento é tributado consoante a duração do contrato:

· Menos de 2 anos: 28%;

· De 2 a 5 anos: 26%;

· De 5 a 10 anos: 23%;

· De 10 a 20 anos: 14%;

· Mais de 20 anos: 10%.

Esta é uma despesa anual que deve considerar. Em situações pontuais é possível fazer a retenção na fonte de IRS ou IRC, nas rendas pagas pelo inquilino e depois fazer o acerto na declaração de IRS anual.

Manutenção

Apesar de não ser uma despesa formalizada, a manutenção do imóvel é uma despesa que deve considerar.

Desde pequenos arranjos a obras de maior dimensão, pode sempre surgir alguma necessidade de intervenção que, em última instância, é da responsabilidade do proprietário.

Condomínio

Se o imóvel for um apartamento ou uma moradia em condomínio fechado, na lista de despesas com o arrendamento deve também contemplar o valor do condomínio. Na verdade, é um custo que sempre teria, como proprietário, mesmo sem ter o imóvel arrendado. Ainda assim deve entrar nas contas.

Seguro Multirriscos

Um seguro multirriscos, também conhecido como seguro habitação, ou ainda seguro da casa, tem como principal função oferecer um conjunto de coberturas que protegem os danos no seu imóvel e ainda o recheio da sua casa.

Este seguro é obrigatório por lei desde que a casa seja uma fração autónoma num prédio dividido em propriedade horizontal. Embora as coberturas obrigatórias sejam apenas a de incêndio e elementos da natureza, recomendamos a que analise outras coberturas que o possam proteger contra eventuais sinistros na casa.

Divulgação

Se para arrendar a casa pretender recorrer a uma imobiliária, para agilizar o processo e torná-lo mais rápido, saiba que há sempre uma comissão envolvida. Pondere se não compensa tratar você próprio do processo.

Despejos

Este é um custo que ninguém deseja ter. Mas, imaginando o pior cenário de todos, saiba que para avançar com uma ação de despejo de inquilinos existem 2 escalões que são determinados pelo valor do procedimento especial de despejo (ou seja, a soma do valor da renda de dois anos e meio com o valor das rendas em dívida):

· valor do procedimento especial de despejo foi igual ou inferior a 30.000 euros: 25,50 euros

· valor do procedimento especial de despejo foi superior a 30.000 euros: 51 euros

Gastos do crédito

Se recorreu a um crédito habitação para comprar a casa que agora pretende arrendar, tem que incluir todos os gastos associados nestes custos: a mensalidade, os juros, os seguros de vida e multirriscos.

Custos para inquilinos

Para os inquilinos, o único gasto adicional que pode existir para além da própria renda é o pagamento de uma caução. Está previsto no artigo 1076° do Código Civil que o proprietário possa pedir aquando a assinatura do contrato, o pagamento de uma caução de até dois meses do valor da renda.

Fonte: Idealista


1 visualização

1/9

1/9

1/8

1/6

onde comer

Periodicidade: Diária

11/25/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias