• comercioenoticias

RIO MAIOR DIZ NÃO ÀS CELEBRAÇÕES DO 25 DE ABRIL


Comunicado do Presidente da Câmara e da Assembleia Municipal


Comemoração do 46.º aniversário do 25 de Abril de 1974

Caros Riomaiorenses,

Estamos próximos da data em que deveríamos, solenemente, comemorar o 46.º aniversário da Revolução de Abril. Com o país em estado de emergência, e a maioria da população em confinamento e isolamento doméstico, não se afigura, nem oportuno, nem conveniente, patrocinar qualquer comemoração que implique a concentração de alargado número de pessoas no mesmo espaço e ao mesmo tempo.

Neste enquadramento, por decisão conjunta do Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior e do Presidente da respetiva Assembleia Municipal, e após audição dos líderes dos agrupamentos políticos representados naquela Assembleia, informamos que não se fará a habitual sessão solene, nem ocorrerá qualquer iniciativa que envolva o ajuntamento de pessoas.

Não obstante, importa não olvidar o 25 de Abril dia em que, através da chamada “Revolução dos Cravos”, foi devolvida aos portugueses a Liberdade e a Democracia.

Volvidos que são 46 anos, muitos serão os que tendem a desvalorizar a ausência de liberdade por ignorarem o que é viver sem a mesma. É certo que, nos meses que se seguiram à Revolução, muito se lutou para não se perder, para outro totalitarismo, comprovadamente mais criminoso que o famigerado Estado Novo, o que o 25 de Abril a todos trouxera. Mas foi uma luta bem conseguida e a liberdade de cada um de nós foi preservada e, hoje, aqui estamos para o recordar, saudar e festejar.

Há datas, bem como acontecimentos, que a História nos obriga a perpetuar para que as gerações vindouras possam manter viva uma memória coletiva, cimento agregador dessa construção que se chama Portugal. O 25 de Abril de 1974 é, indiscutivelmente, uma dessas datas.


PUB.


Cabe-nos, pois, uma palavra de regozijo pelo dia que, proximamente, todos festejaremos no recato das nossas casas, em obediência ao imperativo de saúde pública que nos obriga ao isolamento social e nos impede de, em conjunto, fazermos a festa que o 25 de Abril merece.

Mas há vida para além da pandemia que nos assola. E muitas oportunidades virão para, de forma condigna, comemoramos coletivamente e em conjunto esta data histórica.

Hoje, neste momento de incerteza e esperança, e de dor para muitos, a melhor forma de fazermos essa comemoração é lembramos a data, lembramos os seus heróis, lembramos as conquistas que a todos trouxe e não esquecermos nunca, seja o longo período que antecedeu a revolução e o então “orgulhosamente sós”, sejam as frustradas tentativas de a todos furtar o que os militares de abril nos conseguiram dar.

Hoje, a melhor forma de saudar o 25 de Abril é termos um comportamento coletivo que preserve a saúde de todos, em particular a geração dos militares que, legitimamente, podem reclamar a paternidade da Revolução.

É por isso que devemos ficar em casa. É por isso que não deveremos sair à rua para gritar os Vivas que a Revolução de Abril merece.

Viva o 25 de Abril!

Viva Portugal!


Luís Filipe Santana Dias - Presidente da Câmara Municipal

António Manuel Silva Arribança - Presidente da Assembleia Municipal


PUB.


338 visualizações

1/9

1/10

1/4

1/7

1/7

onde comer

1/10

Periodicidade: Diária

6/1/2020

bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias