• comercioenoticias

RIO MAIOR CELEBROU HOJE 183 ANOS DE CONCELHO

Atualizado: 7 de Nov de 2019

Rio Maior assinalou hoje, 6 de novembro, o 183.º aniversário da elevação a concelho. Para comemorar mais um aniversário a Câmara Municipal de Rio Maior elaborou um conjunto de iniciativas que tiveram início no passado domingo com a realização do 24.º Encontro Sénior, iniciativa que reuniu cerca de 1200 pessoas com mais de 65 anos, oriundos das dez freguesias do concelho, num almoço convívio que teve como palco o Pavilhão Multiusos da cidade.

A manhã do dia 6 começou com o hastear da bandeira no edifício dos Paços do Concelho, acompanhado pela Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior, seguindo-se a Sessão Solene Comemorativa do Feriado Municipal, que este ano decorreu no Cineteatro Municipal e contou com as intervenções do Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Filipe Santana Dias, e do Presidente da Assembleia Municipal em exercício, Carlos Neto.

Na sua intervenção Carlos Neto começou por saudar todos os presentes neste dia tão especial para o Concelho de Rio Maior deixando uma palavra de agradecimento aos homenageados. “Esta é uma data histórica e emblemática para todos nós. A celebração anual do feriado municipal que evoca e nos faz recordar todos aqueles que ao longo da nossa rica história, em contextos diferentes, contribuíram, a seu modo, para que este concelho se tenha tornado notável pelas suas qualidades. Na verdade, a grandeza de Rio Maior e dos riomaiorenses foi alcançada através da riqueza da sua história, da sua cultura, e das suas gentes. História essa que foi feita de um querer coletivo de um povo que fomos e somos hoje”, começou por referir o representante da Assembleia Municipal.

Prosseguindo, Carlos Neto frisou que “o feriado municipal é também um momento de reflexão, de partilha e de mobilização de energias para que possamos perceber bem o caminho percorrido e o caminho que queremos percorrer para construir um concelho cada vez melhor. É tendo como pano de fundo o futuro da nossa terra que hoje realçamos todo o trabalho realizado pelos executivos camarários, que ao longo dos últimos anos proporcionaram um forte desenvolvimento ao nível económico, social e cultural”.

Carlos Neto apontou três vetores para o desenvolvimento de Rio Maior: O turismo, a atração de pessoas e empresas, e a preservação do património, dizendo confiar no Presidente da Câmara “para conseguir levar esta difícil tarefa a bom porto”.

A finalizar, o representante da Assembleia Municipal referiu que “o futuro de Rio Maior é um desafio aliciante que deve mobilizar todos, unidos num esforço coletivo, com grande determinação e resiliência, dentro da nossa diversidade de pensamento. Sejamos assim, todos, e cada um de nós, assumidos responsáveis pelo futuro desta terra que é de todos nós”, concluiu.

Seguiu-se a entrega de diplomas aos funcionários da autarquia que se aposentaram no último ano e também a atribuição das medalhas de mérito de grau prata “Honra do Município”, à empresa Socival, Lda. – Doces da Aldeia, ao Lar Dona Fausta Sequeira Nobre, à Universidade Sénior de Rio Maior e ao atleta João Vieira, que recentemente conquistou a medalha da prata nos 20 km Marcha dos Campeonatos Mundiais de Atletismo.

A sessão solene finalizou com a intervenção do edil riomaiorense, Filipe Santana Dias que começou por agradecer a presença de todos, “obrigado por se juntarem ao vosso município hoje, nesta sessão solene comemorativa dos 183 anos do nosso concelho, o nosso querido concelho de Rio Maior”, salientou.

Filipe Santana Dias prosseguiu frisando: “Tenho hoje a honra e a responsabilidade de desempenhar o cargo de Presidente da Câmara Municipal deste concelho com cerca de 22.000 habitantes, 272 km2 de área, dividido administrativamente em 10 freguesias e uniões de freguesias. No panorama nacional, poderá nas suas dimensões físicas ser considerado um pequeno concelho, mas será sempre enorme nos nossos corações”.

De seguida, o Presidente da Autarquia dirigiu-se à sua antecessora no cargo, Isaura Morais: “Cumpre-me, no desempenho destas funções, honrar o legado de quem me antecedeu nestas funções ao longo da nossa vida enquanto concelho, e permitam-me a ousadia de dar especial enfase aos 10 anos de mandato da Dr.ª Isaura Morais, Zami para todos nós! Zami, não vou, como se costuma dizer na gíria calçar os teus sapatos, até porque duvido que conseguisse equilibrar-me nos teus saltos altos”, disse entre sorrisos, acrescentando que “irei isso sim honrar o teu legado, seguindo uma linha de continuidade, especialmente no rigor, na transparência e seriedade com que ao longo destes anos servimos Rio Maior e os riomaiorenses”.

Filipe Santana Dias deixou depois palavras de reconhecimento e incentivo aos homenageados nesta sessão, “vocês contribuem de forma positiva e decisiva para o crescimento do nosso concelho e a sua afirmação na região, no país e no mundo”, salientou.

O Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior destacou ainda os 183 anos do concelho de Rio Maior: “Este é um dia para recordarmos a nossa história comum, pois aquilo que somos hoje, o concelho de Rio Maior que todos conhecemos, é fruto do trabalho de imensas gerações dos nossos concidadãos, não só dos que exerceram cargos públicos, mas de todos os que aqui investiram, aqui escolheram trabalhar, aqui escolheram fazer a sua vida e deixaram a sua marca no nosso concelho”.

Prosseguindo a sua intervenção, Filipe Santana Dias frisou ainda: “Sem ter o pretensiosismo de pensar que serão os riomaiorenses a definir o futuro do mundo, mas com a profunda certeza que poderemos todos dar o nosso pequeno contributo, deixaria aqui o desafio para procurarmos cumprir um desígnio em que acredito piamente: ‘Procura deixar o mundo um pouco melhor do que o encontraste!’ Para mim esta frase de Baden Powell, o pai do escutismo, deve resumir o papel de qualquer pessoa, e definirá muito bem o papel que cabe a um autarca eleito: definir o caminho e rumo da sua terra, estar atento aos problemas dos seus concidadãos, trabalhar afincadamente para os resolver ou minorar, proporcionar à nossa sociedade um conjunto de condições essenciais para que todos tenham mais e melhor qualidade de vida”, referiu o autarca.

A finalizar a sua intervenção Filipe Santa Dias lamentou todos aqueles que se acomodam e não participam ativamente na sociedade: “Vivemos tempos de informação ao segundo, vivemos tempos ‘sem filtros’ e quase sem regras, em que tudo é permitido dizer, fazer ou até mesmo difamar sem qualquer contemplação. Hoje numa rede social, comunicamos com amigos, desejamos felicidades, partilhamos amores com a mesma frieza com que criticamos, destilamos ódios e enxovalhamos vidas de trabalho, reduzindo-as à mesma mediocridade com que o fazemos. No conforto da nossa cadeira ou do nosso sofá, estamos disponíveis para assinar um sem fim de petições, lamentar o abandono de um animal, criticar qualquer pessoa ou serviço. E é no mesmo conforto do nosso sofá, que nos recusamos a assumir o nosso papel enquanto cidadãos, não participando na vida da nossa comunidade, não disponibilizando um minuto do nosso tempo para dar um abraço a um amigo, nem tão pouco para escolher aqueles que tomarão decisões por nós, e que depois decidimos criticar no ócio do nosso alheamento. É por isso urgente que um dos nossos grandes combates seja aumentar a participação cívica, o sentimento de pertença a esta comunidade, o interesse pelos seus problemas e pela sua resolução. E para que tal seja possível, temos que recuperar a muito debilitada imagem da classe política que, convenhamos muitos políticos fizeram por merecer”.

O Presidente da Autarquia salientou ainda que “há que gerar condições para que as pessoas voltem a acreditar que quem se candidata a um cargo público, quem exerce atividade política, não merecerá os rótulos que lhe são hoje atribuídos. Que uma má maçã não faz efetivamente a má árvore, e que aqueles que dedicam uma parte da sua vida ao exercício de cargos de responsabilidade pública, o fazem tendo em mente que o fim último das funções que lhe foram confiadas é efetivamente servir a comunidade. É este o meu sonho e para o qual darei o meu contributo. Desejo que no cumprimento da nossa missão sejamos todos capazes de honrar os riomaiorenses, aproveitando o melhor das nossas possíveis e salutares divergências de ideais políticos. Que das nossas diferenças nasça o crescimento e que saibamos sempre que muito maior do que aquilo que nos separa, será sempre aquilo que nos une”, concluiu Filipe Santana Dias.

De salientar ainda que esta sessão solene ficou marcada por alguns momentos musicais interpretados por quatros alunos do ensino articulado de música da Escola Marinhas do Sal, e pela fadista riomaiorense Natália Ferreira que interpretou dois trechos musicais, acompanhada ao piano pelo conhecido músico riomaiorense Paulo Holandês, tendo após a sua atuação sido ovacionados de pé pelo público presente.

Após esta cerimónia, no Jardim Municipal, o Presidente da Autarquia e o seu Vice-presidente, Lopes Candoso, colocaram uma coroa de flores no Obelisco Comemorativo do 1.º Centenário do Concelho de Rio Maior, seguindo-se também a deposição de coroas de flores no Monumento aos Combatentes e também na estátua do Condestável Nuno Álvares Pereira, tendo esta última contado com a participação do Agrupamento de Escuteiros 403 de Rio Maior, ou não fosse Nuno Álvares Pereira o Patrono do Corpo Nacional de Escutas.

Seguiu-se uma missa solene na Igreja Paroquial, em memória dos riomaiorenses falecidos, prosseguindo as comemorações durante a tarde com a inauguração da Ciclovia Rio Maior – Asseiceira, uma visita às obras de requalificação da Villa Romana de Rio Maior e a inauguração do Espaço do Cidadão da Freguesia de Alcobertas.

As comemorações do feriado municipal de Rio Maior vão terminar no próximo sábado, 9 de novembro, com uma peça de teatro comédia levado à cena por Sofia Alves e João de Carvalho, intitulada “Porta com Porta”.



405 visualizações

1/9

1/9

1/8

1/6

onde comer

Periodicidade: Diária

11/30/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias