Periodicidade: Diária

9/29/2022

  • comercioenoticias

RECRIAÇÃO HISTÓRICA MARCA A CELEBRAÇÃO DOS 650 ANOS DA VILA DO CADAVAL


O Município do Cadaval comemora, no próximo dia 1 de dezembro, os 650 anos da constituição da vila do Cadaval por carta régia, concedida por D. Fernando no ano de 1371. Para assinalar este marco histórico, a Câmara Municipal promove um dia festivo, que incluirá palestra, mostra e recriação histórica, eventos que valerá a pena presenciar. Participe!

Pelas 10h30, decorrerá, na Biblioteca Municipal, a palestra “O ano de 1371 no Cadaval”, que contará com a presença e intervenção da Professora Doutora Manuela Santos Silva (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), autora do livro “O Primeiro concelho do Cadaval (1371 – 1496)”.

De seguida, terá lugar, no mesmo local, uma mostra do Livro 1 da Chancelaria do Rei D. Fernando, onde consta a Carta de Constituição da Vila original, um documento com mais de seis séculos, cedido pela Direção-Geral dos Livros, dos Arquivos e das Bibliotecas.

Pelas 15h00, acontecerá um momento de recriação histórica, com início de desfile junto ao edifício da Biblioteca e Museu Municipais, seguindo depois pela Rua 13 de Janeiro até à Praça da República, onde será feita a recriação de todo o momento histórico de constituição da vila cadavalense, sucedido há 650 atrás. A não perder!


Contexto histórico da constituição da vila do Cadaval

Em 1371, pelo desmembramento do concelho de Óbidos, do qual o Cadaval fazia parte, era conferido «ao território a possibilidade de se tornar um espaço livre e isento de todo o senhorio, jurisdição e sujeição ao antigo concelho (Óbidos) e às suas autoridades», tal como é descrito no livro “O primeiro concelho do Cadaval” (2004) de autoria de Manuela Santos Silva.

Sem este acontecimento, a História do Cadaval não seria como a conhecemos. Outras datas importam ao Concelho, mas esta é, efetivamente, aquela que se traduz no início da História do Concelho do Cadaval.


PUB.


Para a História ser completa, há que referir que, num primeiro momento, o mesmo Rei, D. Fernando, concede Carta de Constituição da Vila do Peral, a 17 de julho de 1371, na mesma sequência do desmembramento do concelho de Óbidos.

À vila do Peral, foram então dadas «todas as aldeias, casais, quintas, herdades e lugares da freguesia de São Lourenço do Peral, a aldeia do Cercal e os locais povoados que se integrassem na sua freguesia», refere a supracitada obra.

Cerca de cinco meses depois, o mesmo rei eleva a vila do Cadaval a sede de município, através da carta que, este ano, comemora os seus 650 anos, e na qual o Peral é também anexado, bem como a aldeia do Cercal e os povoados circundantes.

De referir ainda que a doação do termo do Cadaval (e do Peral, anteriormente) foi feita a D. João Afonso Telo, 4.º Conde de Barcelos, um fiel oficial e amigo do Rei D. Fernando «como agradecimento pelos feitos nas guerras travadas. Simultaneamente, e como D. Fernando se preparava para desposar a sobrinha deste seu conselheiro (…) interessava-lhe, por isso, reforçar os laços já estreitos que possuía com esta família», refere também Manuela Silva no mencionado livro.


PUB.


56 visualizações0 comentário

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/10

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/5

press to zoom
Lino Martins - site
Lino Martins - site

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/9

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/7

onde comer

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/11
telefonesuteis.jpg
bannered.png
Gina Morais.png
RIOGRAFICA.jpg