• comercioenoticias

PROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO NACIONAL COM CANDIDATURAS ABERTAS NO MÉDIO TEJO


As micro e pequenas empresas que pretendam realizar investimentos no Médio Tejo até 235 mil euros para expansão e modernização da produção, podem já candidatar-se ao Programa de Apoio à Produção Nacional. A iniciativa – que apoia a fundo perdido o investimento empresarial produtivo com foco no setor industrial e do turismo – vai ser dada a conhecer à comunidade empresarial pela NERSANT, que apresenta o Programa em sessão online gratuita, já no próximo dia 10 de fevereiro pelas 14h30.

Na sequência da publicação do Aviso N.º CENTRO-D7-2021-11, de dia 3 de fevereiro, que determina a abertura de candidaturas ao Programa de Apoio à Produção Nacional no Médio Tejo, a NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, com o objetivo de informar a comunidade empresarial sobre este apoio a fundo perdido ao investimento empresarial produtivo, apressou-se a agendar a realização de uma sessão de esclarecimentos online sobre o Programa.

Na sessão, que decorre no próximo dia 10 de fevereiro, pelas 14h30, a associação vai escrutinar o Aviso, esclarecendo quanto a objetivos e prioridades, natureza dos beneficiários, área geográfica, âmbito dos setores, critérios de elegibilidade e seleção, taxas de financiamento e prazos de candidatura no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional para o Médio Tejo. Para além disso, a associação estará disponível para o esclarecimento de dúvidas que possam surgir por parte das empresas participantes no seminário online.


PUB.


O Programa de Apoio à Produção Nacional no Médio Tejo financia a fundo perdido os investimentos de micro e pequenas empresas entre os 20 mil e os 235 mil euros, na sub-região do Médio Tejo, composta pelos concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas, Vila Nova da Barquinha, Sertã e Vila de Rei.

O Programa tem ainda como foco os setores industrial e do turismo, financiando investimento empresarial produtivo, uma vez que o Programa tem como objetivo estimular a produção nacional, com vista à redução da dependência face ao exterior. São elegíveis ao Programa custos de aquisição de máquinas, equipamentos, custos de aquisição de equipamentos informáticos, custos inerentes à criação de novas marcas ou coleções, material circulante diretamente relacionado com o exercício da atividade, estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing, serviços tecnológicos/digitais, sistemas de qualidade e de certificação e obras de remodelação ou adaptação, para instalação de equipamentos produtivos financiados no âmbito deste projeto. A taxa de financiamento é de 40% para os investimentos localizados em territórios de baixa densidade e de 30% para os investimentos localizados nos restantes territórios, havendo ainda majorações para empresas que cumpram determinados critérios estabelecidos no Aviso. As candidaturas ao Programa de Apoio à Produção Nacional para investimentos no Médio Tejo estão já a decorrer, encerrando o prazo de submissão de candidaturas às 19h00 do dia 31 de março.

Os interessados em saber mais informações relativamente ao Programa de Apoio à Produção Nacional - Médio Tejo, podem reservar presença na sessão de esclarecimentos online da NERSANT, no menu agenda do portal da associação em www.nersant.pt.


PUB.


43 visualizações0 comentário

1/8

1/8

1/7

1/7

1/6

onde comer

Periodicidade: Diária

2/26/2021

coronavirus.jpg
bannered.png

©2021 por Comércio & Notícias