• comercioenoticias

PAIS INDIGNADOS COM O ANÚNCIO DE FECHO DO CLUBE DE FÉRIAS DO OUTEIRO DA CORTIÇADA


Tinha-lhes sido dada a garantia que as crianças poderiam frequentar o OTL até ao início do próximo ano letivo

Foi com enorme tristeza e incerteza quanto ao futuro dos seus filhos que os pais das crianças que frequentam o Programa de Ocupação de Tempos Livres (OTL) do Clube de Férias do Outeiro da Cortiçada, no concelho de Rio Maior, ficaram a saber que o mesmo iria fechar as suas portas já esta sexta-feira, 14 de agosto.

Da responsabilidade da Associação do Centro de Convívio e Recreio do Outeiro da Cortiçada, uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), em parceria com a junta de Freguesia local, que tem como principal valência o Centro de Dia, o Clube de Férias do Outeiro da Cortiçada funcionava desde 2017 durante as férias de Verão e destinava-se a crianças, não só daquela freguesia, mas também de freguesias vizinhas, dos 6 aos 16 anos de idade.

Revoltada com toda esta situação, a mãe de uma criança utente daquele espaço, contou que foram abertas as inscrições para o Clube de Férias, tendo-lhes sido dada a garantia de que o mesmo iria funcionar até ao início do próximo ano letivo, “esta terça-feira, ao final do dia, foi-nos comunicado pelas funcionárias que o mesmo iria encerrar, por decisão da entidade gestora, já na próxima sexta-feira, dia 14 de agosto”, acrescentando que “até á data não recebi nenhuma informação por escrito ou por qualquer outro meio da entidade gestora. Foi nos negado o acesso ao livro de reclamações desta entidade gestora, tendo sido referenciado a Junta de freguesia para apresentação da reclamação, contudo a entidade recebedora da mensalidade é a IPSS do Outeiro da Cortiçada e não a Junta”, relatou esta mãe à nossa reportagem.

A revolta desta mãe não se fica por aqui, referindo ainda que “abriram um serviço público o qual não estão a respeitar. Ao inscrever lá a minha filha assinei uma ficha de inscrição apresentada pelo Clube de Férias com as respetivas datas de funcionamento, as quais gostaria de ver serem cumpridas, afinal não é assim de um momento para o outro que se fecha um serviço publico. Os pais estavam descansados pois tinham um lugar de confiança onde deixar os seus filhos e agora? Não é na véspera de fechar que avisam os pais. Qual será o motivo?”, questiona.

Também revoltado, e perante o mesmo cenário, o pai de uma outra criança questiona “onde está a responsabilidade desta administração e o respeito pelos pais”?


PUB.


Contactada pelo Comércio & Notícias, a nova direção da Associação do Centro de Convívio e Recreio do Outeiro da Cortiçada, a qual tomou posse no passado dia 12 de julho, esclareceu que o encerramento do Clube de Férias do Outeiro da Cortiçada se deve única e exclusivamente à situação financeira que a associação atravessa.

Na explicação dada à nossa reportagem a direção da Associação do Centro de Convívio e Recreio do Outeiro da Cortiçada refere que “recebeu uma pesada herança no que diz respeito à tesouraria, agravada nos últimos meses, pelo encerramento do centro de dia devido ao Covid-19”, acrescentando que “a principal valência desta associação sempre foi o centro de dia e apoio domiciliário aos idosos da nossa freguesia e freguesias vizinhas, valência essa que estamos ‘impossibilitados’ de fazer desde o início da pandemia”.

Esta associação garante “ter feito uma primeira análise cuidada aos custos/proveitos da associação, verificando ser incomportável continuar com o nível de custos face aos proveitos existentes”.

Prosseguimento e seu esclarecimento a Associação do Centro de Convívio e Recreio do Outeiro da Cortiçada salienta que “o encerramento do Clube de Férias não foi uma decisão tomada de ânimo leve e muito menos sem pensarmos nas consequências para as famílias dessas crianças, mas o protelar desta situação iria pôr em causa a continuidade do funcionamento do centro de dia e cumprimento do pagamento dos vencimentos aos funcionários, deixando assim de conseguir prestar este serviço à comunidade”.

“É uma decisão que muito nos entristece, estamos conscientes que será um passo atrás para sairmos deste problema, mas foi a única alternativa perante a situação para mantermos a ACCROC viva”, refere ainda a nova direção, que “agradece a confiança depositada nesta associação e nos seus monitores, que tudo fizeram para prestar um serviço de excelência a todos os que frequentaram o Clube de Férias”.

Ao que o Comércio & Notícias conseguiu apurar o Clube de Férias do Outeiro da Cortiçada está neste momento a ser frequentado por 20 crianças, as quais usufruem de atividades diversas, tais como piscina, trampolim, horta, aulas de ginástica, yoga, e culinária, sendo que as crianças fazem elas próprias algumas coisas parar comer, doces variados, bolachas e iogurtes, por exemplo.

Outra das referências deste clube é a reutilização dos materiais do dia-a-dia, através da reciclagem, para criação de novos produtos, pois através desses materiais elas constroem os seus próprios brinquedos.

Se nada houver em contrário, e após três anos de funcionamento, o Clube de Férias do Outeiro da Cortiçada vai mesmo amanhã encerrar as suas portas.


PUB.


1,551 visualizações

1/9

1/10

1/7

1/8

1/9

onde comer

1/5

Periodicidade: Diária

9/30/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias