• comercioenoticias

NERSANT REALIZA MISSÃO EMPRESARIAL VIRTUAL A MOÇAMBIQUE


Com o objetivo de apoiar a internacionalização das empresas da região, a NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém está a apostar na realização de missões empresariais virtuais a diversos mercados. Esta semana, na sessão de apresentação online das oportunidades de negócio do mercado de Moçambique, a associação anunciou a realização de uma ação de prospeção de negócios online a este mercado e que se vai realizar em setembro.

Moçambique continua a ser um dos principais mercados de destino – fora da Europa – para onde Portugal mais exporta, motivo que leva a NERSANT a colocar na sua agenda internacional uma missão empresarial virtual a este país. A ação foi divulgada na sessão de apresentação online de oportunidades de negócio deste mercado, levada a cabo na tarde do dia 7 de abril e onde estiveram presentes diversas empresas da região.

A missão virtual vai acontecer entre 27 e 30 de setembro e engloba o serviço de consultoria especializado para realização de prospeção e seleção dos contactos e oportunidades de negócio no mercado, de acordo com os objetivos e perfil definido, a realização de reuniões institucionais e a realização de reuniões bilaterais com empresas locais, que possam vir a ser potenciais clientes, parceiros ou fornecedores e ainda o apoio técnico e acompanhamento da NERSANT antes, durante e após o evento.

Trata-se, neste sentido, de uma ação de prospeção de negócios à distância, sem custos com deslocações e alojamento, que tem ainda a vantagem de ser financiada pelo Compete 2020 / Portugal 2020, o que permite às empresas participantes usufruírem do serviço com uma taxa de cofinanciamento europeu de 50% das despesas elegíveis.

Na sessão, foram ainda apresentadas as oportunidades do mercado moçambicano. Com poucas barreiras e pré-requisitos à entrada, Moçambique mostra-se um país economicamente atraente para as empresas portuguesas, que devem sempre contar com parceiros moçambicanos para o processo de internacionalização. O know-how das empresas portuguesas torna o investimento mais seguro e fiável no panorama atual do país. Moçambique, foi referido, é ainda uma economia a crescer, dispondo ainda de uma classe média em crescimento. Está entre os principais 10 países, fora da União Europeia, para onde Portugal mais exporta.


PUB.


Portugal e Moçambique desde sempre mantiveram uma relação respeitosa e forte. Enquanto ex-colónia portuguesa, e atualmente enquanto membro dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), tem-se feito esforços significativos para o incentivo de investimento português no país, na tentativa de o desenvolver, tornando-o um motor importante para a economia do continente africano.

Moçambique foi um dos países fundadores, em 1980, da SADCC – Southern African Development Coordination Conference, atual SADC – Comunidade de Desenvolvimento da África Austral. A SADC é constituída por 15 países (Angola, Botswana, República Democrática do Congo, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Maurícia, Moçambique, Namíbia, Seicheles, África do Sul, Suazilândia, República Unida da Tanzânia, Zâmbia e Zimbabué) e compreende 280 milhões de consumidores no sul do continente africano. Moçambique é considerado uma porta de entrada para a região.

A abundância de recursos naturais foi outra das oportunidades exploradas na sessão, destacando-se, neste âmbito, o potencial hidroelétrico, reservas de gás natural, carvão e minerais (titânio, tântalo e grafite, entre outros). Para além disso, Moçambique possui aproximadamente 2800 quilómetros de costa com numerosos recursos pesqueiros, que constituíam a principal fonte de exportação do país, até ao desenvolvimento da indústria do alumínio.

Com a aplicação do Acordo de Parceria Económica Regional UE/Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (EU/SADC), os direitos aduaneiros que recaem sobre a importação de alguns produtos comunitários em Moçambique irão sofrer uma redução gradual durante um período até 10 anos. Cerca de 26% do volume das exportações da UE para Moçambique estão excluídas de qualquer redução por razões de segurança alimentar, sensibilidade industrial ou receita fiscal.

De referir que a missão virtual a Moçambique realiza-se ao abrigo do projeto Negócios no Mundo, contando com cofinanciamento comunitário no âmbito do Compete 2020 / Portugal 2020. Para mais informações, as empresas interessadas devem abordar a NERSANT através dos contactos negociosnomundo@nersant.pt ou 249 839 500. As inscrições podem ainda ser firmadas no portal da associação, em www.nersant.pt/agenda/.


PUB.


25 visualizações0 comentário

1/8

1/9

1/4

1/7

1/8

onde comer

1/10
telefonesuteis.jpg

Periodicidade: Diária

5/12/2021

coronavirus.jpg
bannered.png
Centro Médico de Rio Maior.jpg
Gina Morais.png
RIOGRAFICA.jpg