• comercioenoticias

INTERIOR DO PAÍS: UMA OPORTUNIDADE PERDIDA?


Artigo de Opinião de Tiago Carrão

As largas dezenas de mortos e feridos, as centenas de casas destruídas e os muitos milhões de euros de prejuízos nos grandes incêndios do Verão de 2017 comoveram o País e obrigaram os políticos e as entidades responsáveis a assumir uma realidade que teimavam em ignorar.

Pedrógão Grande e tantos outros concelhos do interior entraram na ordem do dia e no discurso político pelas piores razões. Do Presidente da República ao Primeiro Ministro, dos Ministros aos líderes partidários, todos proclamaram o interior do País como prioridade nacional. Que era um ponto de viragem, que era tempo de ação. Mas não passaram de palavras de circunstância e ocas. As promessas de então esbarram na realidade de hoje.

Basta visitar o País real para perceber que, apesar de algumas bandeiras erguidas pelo Governo, na verdade, três anos depois, pouco ou nada mudou. A floresta, por exemplo, está a ficar igual ao que era em 2017, dentro de alguns anos será novamente um “barril de pólvora”. Nem a simples limpeza de estradas e matos foi feita.

Os investimentos públicos, a aposta no tecido empresarial, o reordenamento da floresta, a recuperação agrícola e pastorícia, a descentralização de serviços, os apoios à fixação de pessoas, a revitalização do interior. Tudo isto não passou de uma miragem.

O interior do País continua desertificado, abandonado, esquecido. E a hipocrisia de quem nos governa é tanta que essa realidade continua a ser ignorada. Resta a esperança de que os novos tempos que vivemos constituam uma oportunidade para mudar o que tem de ser mudado.

O Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, elaborado pelo Prof. António Costa Silva, um documento com dez eixos estratégicos, visa ser o referencial para o modelo de desenvolvimento do País num contexto pós-Covid. E o Plano de Recuperação e Resiliência 2021-2026, com as opções e as prioridades para fazer face à crise, que o Governo vai apresentar à Comissão Europeia para recorrer aos fundos financeiros disponibilizados. Dois documentos fundamentais para controlar a pandemia e recuperar o País, um desafio enorme para o nosso futuro.

Mas, dos Planos à execução vai uma grande distância. Esperamos que não se esqueçam de que os efeitos económicos e sociais adversos causados pela pandemia, têm um efeito potencialmente devastador para o interior de Portugal.

É o momento de se honrar as palavras de 2017 e o interior do País ser uma prioridade nacional, assumindo-o como parte integrante do modelo de desenvolvimento de Portugal para a próxima década.

O desenvolvimento da capacidade produtiva, estímulos à coesão territorial e social e à competitividade, redes de transportes que fomentem a mobilidade, políticas industriais, agrícolas e florestais como fonte de criação de riqueza, a tecnologia e a inovação, são áreas vitais para transformar esta importante parte do nosso território.


PUB.


Os muitos milhões que aí vêm da Europa são suficientes para os investimentos necessários no interior do País. Mas, honestamente, receio que isso não venha a acontecer, e que seja mais uma oportunidade perdida. Basta ver o tanto que tem sido dito e escrito sobre o nosso futuro, e, ou ando distraído, ou parece-me que o interior do País não está na linha da frente das preocupações dos nossos governantes e dos partidos políticos.

Vejo e ouço muita discussão sobre a boa ou má utilização dos fundos europeus. O fantasma do dinheiro ser canalizado para os mesmos de sempre, através de esquemas mais ou menos fraudulentos e de corrupção. E isto é um mau presságio para discussões que deveriam ser sérias sobre os reais interesses de Portugal e de todos os portugueses.

Espero sinceramente estar enganado e que os meus receios, não passem disso mesmo. E que tenha chegado a hora de apostarmos verdadeiramente no interior de Portugal, para termos um País mais equilibrado, mais coeso, mais rico e mais justo. Caso contrário, só posso concluir que o País não aprendeu nada com a lição de 2017. Até à próxima tragédia!

Tiago Carrão

Vice-Presidente do PSD de Tomar


PUB.


86 visualizações

1/9

1/9

1/8

1/6

onde comer

Periodicidade: Diária

11/28/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias