• comercioenoticias

GNR DETEVE DUAS MULHERES DE 58 E 85 ANOS POR TRÁFICO DE ESTUPEFACIENTES E POSSE ILEGAL DE ARMAS


Militares da GNR do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Caldas da Rainha, ontem, dia 18 de fevereiro, recuperaram diversos artigos CITES e detiveram duas mulheres de 58 e 85 anos por tráfico de estupefacientes e posse ilegal de armas, tendo ainda desmantelado cinco estufas de canábis com ligação ilegal à rede elétrica, na localidade de Casal Pardo, no concelho de Alcobaça.

No âmbito de uma investigação por tráfico de estupefacientes que decorria desde novembro de 2020, os militares da Guarda realizaram duas buscas domiciliárias e uma em veículo, culminando na apreensão de 300 doses de canábis, 13 plantas de canábis, 12 cartuchos, três caçadeiras, uma arma de paintball, diverso material elétrico e equipamento de apoio à produção e secagem de canábis e material de embalagem e corte de canábis.

No seguimento das diligências policiais foram desmanteladas quatro estufas de produção de canábis e outra de secagem, tendo sido possível detetar uma ligação ilegal à rede elétrica. Foi possível apurar-se ainda que as armas de não tinham registo nem qualquer tipo de documentação válida.


PUB.


Ainda no decorrer desta ação, e após terem sido detetados ilícitos contra a natureza e ambiente, foi elaborado um auto de contraordenação por posse ilegal de peças ornamentais por falta de certificado CITES, punível com uma coima que pode ascender a 100 000 euros, tendo sido remetido para o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), autoridade nacional CITES.

No seguimento desta ação, foram apreendidas duas tartarugas de escamas (Eretmochelys imbricata) embalsamadas, uma peça de coral (Acropolidae) de dois quilos, e diversas peças de marfim de elefante-africano (Loxodonta africana), nomeadamente dezasseis pulseiras, cinco brincos, três colares, três anéis, três peças trabalhadas com o peso total de 1,6 quilos, duas estatuetas e um terço.

Esta ação contou com o reforço do Posto Territorial de São Martinho do Porto, do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Caldas da Rainha, do Destacamento de Intervenção (DI) de Santarém e com a colaboração do ICNF.


PUB.


769 visualizações0 comentário