Periodicidade: Diária

9/27/2022

  • comercioenoticias

DOIS RECLUSOS DE VALE JUDEUS FAZIAM-SE PASSAR POR INSPETORES DA ASAE E DA ACT


O Comando Territorial de Faro, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Faro, no dia 3 de junho, constituiu arguidos dois homens de 34 e 42 anos por burlas qualificadas, em Alcoentre.

No âmbito de um inquérito que decorria há cerca de quatro meses e no qual se investigavam 30 burlas qualificadas, com proveito superior a 27 mil euros, para os suspeitos, os militares da GNR deram cumprimento a dois mandados de busca às celas de dois reclusos do Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus, que resultaram na apreensão de um telemóvel, dois cartões SIM e diversos apontamentos relacionados com as burlas praticadas pelos suspeitos, nomeadamente registos de nomes, valores e dados bancários dos lesados.

Os visados na investigação faziam-se passar por Inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), Autoridade para as Condições do trabalho (ACT) ou outras entidades, e a partir do estabelecimento prisional efetuavam chamadas telefónicas para estabelecimentos comerciais de todo o país, sobretudo restaurantes, invocando a existência de irregularidades no estabelecimento e solicitando o pagamento imediato de uma coima, através de transferência bancária, para assim evitar uma alegada inspeção ao local com consequências mais gravosas.

A ação contou com a colaboração da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, tendo sido presidida por dois Procuradores do Departamento de Investigação e Ação Penal de Faro.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Faro.


PUB.


A Guarda Nacional Republicana informa e esclarece que as entidades de fiscalização oficiais não contactam as pessoas/estabelecimentos via telefone sob “ameaça de fiscalização” ou qualquer outro tipo de ação. Se for alvo deste tipo de contacto, solicite a identificação do elemento, o seu local de trabalho e confirme com o serviço ou exija notificação pessoal.


A GNR aconselha:

Não partilhe dados pessoais ou dados bancários, com desconhecidos;

Não se deixe pressionar para decidir algum negócio sem um tempo de reflexão.

Seja prudente e adote a postura de desinteresse e saiba dizer “Não”. Lembre-se que os burlões sabem que as pessoas cometem erros sob pressão.

Os especialistas recomendam que use apenas meios de pagamento com os quais esteja verdadeiramente familiarizado;

Não assinar documentos sem ter a certeza do seu conteúdo;

Não confiar em indivíduos estranhos, bem-falantes e cheios de boas intenções;

Caso desconfie de algo, deve denunciar imediatamente à GNR.


PUB.



1.546 visualizações0 comentário

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/10

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/5

press to zoom
Lino Martins - site
Lino Martins - site

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/9

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/7

onde comer

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/11
telefonesuteis.jpg
bannered.png
Gina Morais.png
RIOGRAFICA.jpg