• comercioenoticias

COVID-19: O DIA SEGUINTE


Artigo de Opinião de Tiago Carrão

O pesadelo covid-19 continua e irá continuar a moldar a nossa vida pessoal, familiar, profissional e social.

Muito do que sempre tomámos como garantido, hoje está-nos vedado.

Estou convicto que conseguiremos ultrapassar este pesadelo, mas não posso deixar de me questionar: que mundo teremos no dia seguinte?

As dúvidas e anseios sobre o futuro pós-pandemia têm vindo a avolumar-se e a adensar-se.

O mundo não vai acabar. Mas não é para já possível prever quando e como será o fim desta situação, quantos vidas humanas roubará este vírus, quantas pessoas perderão o seu emprego, quantas empresas fecharão.

Sabemos sim que muito estará nas mãos dos dirigentes nacionais, europeus e mundiais.

A esse propósito, dizia Miguel Sousa Tavares no Expresso de 21 de março: “O que temos hoje são apenas duas espécies de líderes à frente das nações que têm armas, poder e dinheiro: os inteligentes e os idiotas. Desgraçadamente, porém, os inteligentes são cínicos e os idiotas são, por natureza, perigosos”.

Em Portugal, apesar dos esforços do Governo, ficamos com a sensação de que não serão suficientes para minimizar o inevitável impacto na saúde pública e na economia.

Na Europa os recentes episódios espelham a falta de solidariedade entre os estados membros, o que não augura nada de bom para o futuro da União Europeia.

E, por todo o mundo, os exemplos irresponsáveis e displicentes de Donald Trump, Boris Johnson e Jair Bolsonaro não inspiram muita confiança.

Falar do panorama mundial leva-nos necessariamente a falar da China.

Muito antes desta epidemia, já a China tinha em curso uma clara estratégia de invasão económica em todo o mundo.

O aumento do seu poder e influência internacional era cada vez mais evidente.

Basta olhar para o exemplo de Portugal, com os vistos gold e a compra de empresas estratégicas nacionais.

Foi na China que surgiu o covid-19, mas, tendo em conta o seu universo populacional, o resultado não foi tão devastador como se poderia imaginar, de acordo com os números oficiais.

E economicamente, apesar de devagar, estão já a recuperar e a fornecer equipamentos de saúde para todo o mundo.

São muitas as questões a este respeito: qual a ambição dos líderes chineses? Qual será o papel da China no mundo pós-pandemia? Será como afirmou a Revista do Expresso na capa do passado sábado: “Como Xi Jinping está a usar a pandemia para cumprir o sonho imperial chinês”?

Recordo-me da profecia de Napoleão Bonaparte há 200 anos atrás: “Quando a China despertar, o Mundo tremerá”. Cá estaremos para ver.

Enquanto isso, apesar das consequências devastadoras do covid-19, encontramos também histórias de coragem que nos motivam a todos.

Lido diariamente com pequenas e médias empresas. E inspira-me a resiliência destes empresários que lutam para garantir a sobrevivência do seu negócio e a subsistência dos funcionários.

Assisto à transformação digital que se está a passar na educação, com milhares de alunos a conseguirem prosseguir os seus estudos remotamente.

Conforta-me a entrega das instituições de apoio social que não prescindem de apoiar aqueles que, mais do que nunca, delas necessitam.

São exemplos como estes que nos devem encher a todos de esperança.

Está nas nossas mãos, está ao alcance de todos nós vencer este maldito vírus!

Tiago Carrão

Vice-Presidente do PSD de Tomar

306 visualizações

1/9

1/10

1/4

1/7

1/7

onde comer

1/10

Periodicidade: Diária

5/28/2020

bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias