• comercioenoticias

Cenário dos jogos online na Europa: o que esperar para o próximo ano?


O mercado europeu de e-gmaes continua sendo um dos mais abertos e lucrativos do mundo, com colaboração internacional permitindo que as marcas operem em várias jurisdições em todo o continente.

Apesar disso, no entanto, não existe um órgão regulador único que domine o mercado europeu, e isso pode criar problemas em termos de manutenção dos padrões da indústria e proteção efetiva dos participantes em países específicos e estados membros da UE.

Isso poderia mudar em 2019, com Maarten Haijer (o atual Diretor Geral da EGBA, Europe Gaming and Betting Association) pressionando para que os formuladores de políticas da UE desenvolvessem um livro de regras comum para os e-games no continente. Mas de que outra forma o panorama do jogos online deverá mudar na Europa este ano e como esses desenvolvimentos terão impacto no mercado?


A ascensão do bingo online na Itália e na Europa continental


O bingo online representa uma parte relativamente pequena dos jogos online. No entanto, ele continua sendo uma parte mais proeminente do cenário dos jogos online em outros países europeus, e isso pode ter algo a ver com suas origens como um jogo popular na Itália e na França.

Na verdade, a mais recente nação da UE a adotar o bingo online é a Itália, onde foi oferecida aos licenciados a chance de adicionar uma série de variações de bingo às suas ofertas de produtos. Isso representa a peça final do quebra-cabeças em termos de estrutura regulatória italiana, já que o protocolo impedia que as marcas de jogos comercializassem o bingo e diversificassem as bibliotecas de seus jogos de acordo.

Mais recentemente, a principal empresa de jogos omni-channel do mundo (Playtech) anunciou que finalmente lançará sua plataforma expandida de bingo na Itália, através de colaborações com as marcas Sisal, William Hill e Snai.

Para permitir isso, os reguladores italianos introduziram o protocolo atualizado PBAD3, que autorizará as operadoras a oferecer variantes de bingo online aos jogadores. Não apenas isso, mas essas iterações também estarão disponíveis em uma variedade de plataformas, ou seja, desktop HTML5, clientes móveis e aplicativos nativos para iOS e Android.

No futuro, isso também pode permitir que marcas de toda a Europa segmentem o público de bingo online na Itália. Como resultado, muitas das marcas confiáveis estrangeiras poderiam se apresentar para os jogadores italianos.


A liberalização dos mercados europeus


Um par de mercados europeus também deverá ter uma liberalização considerável nos próximos 12 meses, com esses processos tendo começado a sério no início de 2019. Um desses mercados pertence à Suécia, que em 1º de janeiro procurou abrir seus aplicativos de licenciamento para operadoras de todo o mundo. Ao mesmo tempo, os operadores suecos podem continuar a visar audiências em outros mercados europeus, sujeitas ao licenciamento e credenciamentos corretos.

Historicamente, os reguladores na Suécia só permitiram que as marcas nacionais operassem em todo o país, mas essa abordagem inibiu o sucesso desses fornecedores e do mercado nacional como um todo. A razão para isso é simples; como a gama restrita de jogos, operadores e termos disponíveis na Suécia encorajou um número crescente de jogadores a se registrar em cassinos online baseados em outros lugares da Europa.

O mercado português seguiu uma trajetória semelhante até agora em 2019, com Portugal abrindo as portas para a 888 casino, segunda empresa liberada para operar mesas de poker online, agora no meio do ano. Após anos de relutância em facilitar o surgimento de cassinos online, Portugal gradualmente começou a mudar sua posição e elaborar uma legislação que abriria o mercado a operadores internacionais confiáveis.

A nação está um pouco atrás da Suécia em suas tentativas de liberalizar seu mercado de jogos online. No entanto, as rodas foram claramente postas em movimento, e não há dúvida de que Portugal em breve fará parte de um mercado controlado mas liberalizado na Europa.


Uma repressão aos mercados mais estabelecidos


Por anos, o Reino Unido e a Itália dominaram o mercado europeu em termos de regularização de jogos de casino online. No entanto, enquanto outros mercados atingiram o estágio em que estão prontos para crescer e diversificar seus interesses, as entidades regulatórios desses dois países alcançaram pontos de saturação e os reguladores agora estão voltando suas atenções para restringir o uso e implementar diretrizes mais rigorosas.

A UK Gambling Comission (UKGC), na Inglaterra, tornou a proteção dos jogadores menores e vulneráveis ​​um dos seus principais objetivos estratégicos até 2021, ao mesmo tempo implementando uma série de medidas que simplificam os processos de retirada, verificam a identidade dos jogadores mais rapidamente e proíbem o uso de cartões de crédito para fazer depósitos.

Tanto o Reino Unido quanto a Itália agendaram recentemente aumentos nos impostos cobrados pelas operadoras de casinos online, com o Remote Raming Duty (RGD) definido para aumentar em 6% a 21% em outubro deste ano. Por outro lado, a Itália aumentou recentemente a arrecadação da receita bruta de jogos derivada do jogo de cassino virtual e do bingo online em 5%, com este valor agora fixado em 25% relativamente proibitivos.

Isso faz parte de um ciclo natural no setor de jogos online, é claro, mas essas medidas regulatórias e legislativas provavelmente chegaram no pior momento, dadas as pressões criadas pelo Brexit. No entanto, não há dúvidas de que os mercados bem regulados costumam ser os mais lucrativos, enquanto regras rigorosas são cruciais para liberalizar com sucesso as operações domésticas.

15 visualizações

1/9

1/10

1/8

onde comer

1/5

Periodicidade: Diária

10/24/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias