• comercioenoticias

CARTEIROS DE RIO MAIOR INICIARAM HOJE UMA GREVE DE 5 DIAS


A empresa CTT não ouviu os pedidos feitos pela Dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT), Dina Serrenho, após uma reunião realizada no passado dia 16 de junho com os carteiros do posto de distribuição de Rio Maior, tendo estes encetado esta segunda-feira, 6 de julho, uma greve que se irá estender ao longo de toda a semana.

A meio do mês passado Dina Serrenho revelou ao Comércio & Notícias que a correspondência vai-se amontoando na estação, havendo mais de 20 mil correspondências por entregar no concelho de Rio Maior, isto porque segundo ela são necessários pelo menos mais 5 carteiros para Rio Maior.

Como as exigências não foram cumpridas pelos CTT os carteiros de Rio Maior concentraram-se hoje pela manhã junto ao edifício da Câmara Municipal, tendo sido recebidos pelo Presidente Filipe Santana Dias e pelo seu executivo.

Durante a manhã os carteiros entregaram panfletos aos transeuntes, onde é referido que “as populações e as empresas estão a ser prejudicadas pela gestão dos CTT”.

O SNTCT refere que “a falta de trabalhadores e a desorganização da gestão dos CTT é a principal causa do mau serviço prestado aos clientes/utentes, às empresas e ao país”.

Neste comunicado pode ainda ler-se que “muitas vezes a distribuição era efetuada apenas uma vez por semana, mas nesta altura existem registos com 10 e 15 dias de atraso, correio azul com mais de uma semana de atraso, o correio expresso chega a ter atrasos de 2 e 3 dias e os jornais semanais são entregues apenas na véspera de sair o jornal da semana seguinte. Além disso milhares de cartas com faturas para pagar são entregues fora do prazo de pagamento”.


PUB.


Após a reunião com os representantes dos carteiros o presidente da autarquia riomaiorense revelou que “o executivo municipal concorda com este protesto e compromete-se a fazer ecoar a voz dos carteiros quer junto da empresa, quer da ANACOM, que é a entidade que os regula, no sentido de manifestar a nossa preocupação, uma vez que os nossos munícipes estão a ser bastante lesados com a má distribuição postal. Acreditamos que esta culpa não é dos carteiros, uma vez que a falta de meios que eles têm é gritante”, disse Filipe Santana Dias que acrescentou ainda que “a Câmara vai-se associar a esta voz no sentido de exigir mais recursos humanos para o concelho de Rio Maior de modo a prestarem um serviço condigno”.

Por sua vez, a Dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações, Dina Serrenho, relatou que “infelizmente os CTT não avaliaram bem esta situação pensando que os trabalhadores não iriam entrar nesta forma de luta, e assim lamentavelmente fomos obrigados a encetar esta greve, a qual não queríamos de forma alguma, uma vez que é mesmo o nosso último recurso”.

Dina Serrenho considera ainda que “esta é a forma de chamar a atenção da Câmara e da população para a necessidade urgente que existe da empresa colocar pelo menos mais 5 trabalhadores para podermos cumprir os padrões de qualidade a que qualquer cidadão tem direito na entrega da sua correspondência”.

Dina Serrenho informou ainda que “assim que a empresa nos garanta mais cinco trabalhadores os carteiros suspenderão imediatamente esta luta, se isso não acontecer irão permanecer em greve até sexta-feira. Esperemos que a população entenda e se coloque do nosso lado, porque é por todos nós que estamos a dar a cara, uma vez que se não houver gente para trabalhar não pode haver uma boa qualidade dos serviços e nós o que queremos é prestar um bom serviço à população”, concluiu a dirigente sindical.


PUB.


1,141 visualizações

1/9

1/10

1/7

1/8

1/9

onde comer

1/5

Periodicidade: Diária

9/28/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias