• comercioenoticias

CARTAXO: DEPUTADO PORFÍRIO SILVA APRESENTOU LIVRO SOBRE O PARLAMENTO DOS JOVENS


O deputado da Assembleia da República Porfírio Silva esteve no Cartaxo, no auditório da Quinta das Pratas, no passado dia 16 de dezembro, para apresentar o seu mais recente livro, “O Ideário Constitucional no Parlamento dos Jovens”, aos jovens do agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita.

Esta iniciativa, no âmbito da rede concelhia de bibliotecas, contou com a colaboração dos professores do agrupamento envolvidos no projeto Parlamento dos Jovens e com os alunos e alunas que integrarão a próxima edição do projeto.

Jorge Tavares, diretor do Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita, deu as boas vindas ao autor do livro e pediu aos jovens presentes que disfrutassem deste momento importante, “vocês vão fazer parte do Parlamento dos Jovens, encarem este encontro como o dia zero e aproveitem esta aprendizagem com alguém que está tão ligado a esta atividade”.

A Elvira Tristão, vereadora com o pelouro da cultura na Câmara Municipal do Cartaxo, coube a apresentação do deputado Porfírio Silva, tendo abordado a sua vasta experiência profissional e também a sua obra publicada.

Porfírio Silva é “investigador em Filosofia das Ciências, doutorado em Epistemologia e Filosofia das Ciências”, sendo atualmente “deputado na Assembleia da República pelo ciclo eleitoral de Aveiro, pelo Partido Socialista, e faz parte de três comissões parlamentares, incluindo a da Educação, Ciência, Juventude e Desporto”, responsável pela organização do Parlamento dos Jovens.

Perante um auditório cheio, Porfírio Silva apresentou o seu livro “O Ideário Constitucional no Parlamento dos Jovens” e explicou a sua origem.

O livro aborda detalhadamente a edição de 2017 do Parlamento dos Jovens que, por sugestão do presidente da Assembleia da República, teve como tema a Constituição democrática que nasceu do 25 de abril de 1974.

“Apercebi-me – pelas sessões a que fui, quer em escolas, quer no ciclo em Aveiro – que tinha sido uma discussão muito interessante, porque no fundo é estimulante ver jovens da vossa idade a discutir como é que se deve organizar o país em termos políticos, a discutir temas como os referendos ou a regionalização, ou temas mais delicados como a eutanásia”, explicou.

Os jovens que participaram nessa edição abordaram “não só o texto da Constituição, mas também o que achavam que devia lá estar, o que achavam que estava mal ou que devia estar de outra forma, portanto, o ideário que nós idealizamos que devia ser a Constituição”.

Nesta edição de 2017 participaram “mais de quatro mil turmas de todo o país, candidataram-se a representantes da escola mais de 23 mil alunos, votaram nessas eleições quase 160 mil alunos e alunas, foram eleitos nas sessões escolares de todo o país mais de 13 mil colegas vossos, tendo 258 chegado às sessões nacionais”.

Para escrever este livro, que descreveu como “um tributo, uma demonstração de respeito da minha parte para mostrar que nós, na AR, temos respeito pelo vosso trabalho”, o deputado fez um “levantamento das propostas que foram apresentadas, com uma explicação e apresentação de todos os debates - isto é metade do livro, a outra metade sou eu a dar a minha opinião”.

Sobre a iniciativa Parlamento dos Jovens, que já comemorou 20 anos, Porfírio Silva definiu-o como uma lição prática da vida em democracia, uma vez que leva a “pensar, a saber como se faz, como se discute, a ouvir os argumentos dos outros, a partilhar a nossa opinião, avançando no processo de tentar encontrar soluções que sejam minimamente razoáveis para todos, mesmo que à partida nem todos estivessem de acordo sobre aquilo que vai ser acordado”.

À apresentação do livro seguiu-se um pequeno debate que envolveu alunos e professores. As questões feitas ao deputado abrangeram diversas áreas, como a abstenção, o percurso profissional do deputado, a necessidade de existir apoio psicológico nas escolas ou o contributo dos jovens para melhorar o país.

Para Porfírio Silva, estes jovens estão no caminho certo, a fazer o melhor que poderiam fazer: “a estudar, a qualificarem-se, a preparem-se melhor do que os seus pais e os seus avós, para assim se tornarem profissionais mais competentes e, enquanto cidadãos, contribuírem melhor para o país”.

Opinião também partilhada pela vereadora Elvira Tristão que, no encerramento da sessão, deixou um conselho a todos os jovens que estavam presentes, em particular para aqueles que farão parte do próximo Parlamento dos Jovens que será dedicado à violência doméstica e no namoro, “a preparação passa por lerem muito, conversarem muito, interessarem-se muito pelas coisas que fazem parte da vossa vida, na vossa comunidade, na vossa escola, na vossa terra e no vosso país - sejam cidadãos do mundo”.

No final da sessão, Porfírio Silva e os demais membros da mesa puderam experimentar diversas iguarias preparadas pelos alunos e professores dos cursos profissionais de Mesa e Bar da Escola Secundária do Cartaxo.

17 visualizações

1/9

1/9

1/8

1/6

onde comer

Periodicidade: Diária

12/5/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias