• comercioenoticias

CARTAXO ASSEGURA REFEIÇÕES ESCOLARES PARA CRIANÇAS E JOVENS DO ESCALÃO A


Na sequência do encerramento dos estabelecimentos escolares decidido em Conselho de Ministros no passado dia 13 de março, que suspendeu todas as atividades letivas e não letivas, de 16 de março a 13 de abril – sendo que até 27 de março se trata de suspensão da atividade e desta data até 13 de abril decorrerá o habitual período de férias da páscoa –, a DGEstE - Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares esclareceu, através de comunicado às escolas, que o fornecimento de refeições escolares aos alunos com escalão A da Ação Social Escolar deve ser garantido, devendo cada escola, em conjunto com as autarquias e os prestadores de serviço, encontrar a forma mais eficaz e segura de fornecer as refeições.

Durante o dia 13 de março, a área de Educação e Juventude do Município do Cartaxo trabalhou com os agrupamentos de escolas daqiele concelho e com a empresa fornecedora de refeições, para cumprir as indicações da DGEstE e “assegurarmos que, com o esforço conjunto dos serviços da autarquia, dos pais e encarregados de educação, assim como, da empresa fornecedora e dos agrupamentos de escolas, as crianças e os jovens poderiam ter as suas refeições disponíveis a partir de segunda-feira”, explicou Pedo Magalhães Ribeiro, presidente da Câmara Municipal.

Os dois agrupamentos – Agrupamento de Escolas D. Sancho I de Pontével e Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo –, contactaram os pais e encarregados de educação, para aferir do seu interesse em que as crianças e jovens pudessem usufruir das refeições, tendo obtido confirmação para vinte e oito crianças, até ao momento.

As refeições serão confecionadas na cozinha da Escola José Tagarro e distribuídas, pela empresa, em cada estabelecimento de ensino. Por razões de segurança, “que são especialmente importantes nestes dias de incerteza que todos vivemos, as refeições serão acondicionadas em recipientes descartáveis”, explicou o presidente da Câmara Municipal que assegura “a presença das nossas trabalhadoras nas escolas para entregarem as refeições às famílias com os cuidados que se impõem”, referindo a possibilidade “de virmos a assegurar, também, a entrega destas refeições ao domicílio, como apoio a famílias que tenham dificuldade em levantar as refeições nas escolas”.

O autarca afirma estar ciente “que um processo que tivemos de organizar em apenas um dia útil, obriga a especial atenção da nossa parte, tanto como dos agrupamentos de escolas. A entrega de refeições poderá vir a ser alargado a mais crianças deste escalão, caso os pais e encarregados de educação manifestem essa necessidade”.

Pedro Magalhães Ribeiro destaca o “esforço que os professores dos dois agrupamentos de escolas fizeram para conseguir contactar, por telefone, o maior número possível de pais”, assim como, “a disponibilidade quer dos agrupamentos, quer dos técnicos e trabalhadores municipais na construção de uma solução em tão pouco tempo”, para garantir que “aquelas famílias que mais precisam de apoio, numa situação que é excecional e nova para todos, possam ter as refeições das suas crianças asseguradas”.

Tal como outras medidas preventivas para travar novo Coronavírus que o município adotou, também este processo será objeto de monitorização e de avaliação permanente, sendo revisto em função da adequação que se considerar necessária para dar o melhor apoio possível às famílias.

129 visualizações

1/9

1/9

1/8

1/6

onde comer

Periodicidade: Diária

12/4/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias