• comercioenoticias

CADAVAL PARTICIPOU EM EXERCÍCIO NACIONAL “A TERRA TREME”


Realizou-se, no passado dia 5 de novembro, em todas as escolas do concelho do Cadaval, o exercício nacional “A Terra Treme”, que visou a sensibilização para o risco sísmico. A ação teve a duração de apenas um minuto, durante o qual os participantes foram convidados a executar os três gestos que podem salvar vidas – baixar, proteger e aguardar.

Para cumprir esta iniciativa nacional, o alarme dos Bombeiros Voluntários do Cadaval soou durante esse mesmo minuto, pelas 11h05, convidando todos os cidadãos a participar.

A atividade foi promovida pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, localmente dinamizada pelo Serviço Municipal de Proteção Civil, e procurou chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que os cidadãos devem adotar em caso de sismo, mas que podem salvar vidas.

David Santos, coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil, faz um balanço muito positivo da ação. «Quando lançámos este desafio ao Agrupamento de Escolas, no mês passado, ficámos muito satisfeitos em saber que eles ficaram entusiasmados com a ideia de participarem», declara.

«É importantíssimo incutirmos esta cultura de segurança às camadas mais novas, e ao fazê-lo com o Agrupamento acabamos por, indiretamente, fazê-lo com centenas de agregados familiares pelo nosso concelho», refere o responsável.

«Estamos satisfeitos porque é assim que conseguimos criar uma cada vez maior cultura de segurança e resiliência na nossa população», conclui.

«A iniciativa foi bem acolhida e, de acordo com os relatos que nos foram chegando, a atividade foi desenvolvida a cem por cento», informa, por seu turno, Paulo Henriques, diretor do Agrupamento de Escolas do Cadaval.


PUB.


Segundo Paulo Henriques, não só alunos e professores, como também serviços administrativos e assistentes operacionais se mobilizaram em prol da iniciativa.

«Aderiram mais de mil alunos, não digo cerca de 1380 porque há alunos na escola-sede que têm aulas em momento diferente da realização do simulacro», avança, salientando ter inclusive contemplado alunos das unidades de apoio à multideficiência.

Com efeito, e tal como informa a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, «muitas zonas do globo são propensas a sismos, e Portugal é um território com zonas particularmente sensíveis a este risco». Daí a importância de estar preparado para enfrentar uma situação deste tipo e recuperar rapidamente dela.


PUB.


33 visualizações0 comentário

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/9

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom