• comercioenoticias

CÂMARA DAS CALDAS DA RAINHA AVANÇOU COM OBRAS DE CONSERVAÇÃO DO PENEDO FURADO


A Câmara das Caldas da Rainha vai fazer mais uma intervenção de consolidação do Penedo Furado, na Foz do Arelho.

Há muito que a autarquia caldense está atenta aos problemas de estabilidade do raro e de relevância mundial geomonumento (monumento geológico) com milhões de anos.

O Penedo Furado é uma “estrela” mundial da Geologia. Formado no período jurássico, encerra informações geológicas com milhões de anos e, segundo diversos especialistas, não há outro igual no mundo. Este caso raro deve-se ao facto de que todas as formações semelhantes se encontrarem na costa, enquanto o Penedo Furado se situa no interior do continente. A explicação é que a área onde está implantado foi, em tempos, banhada pelo mar, mas devido ao recuo dos oceanos acabou rodeado por terra.

Ao longo dos anos têm sido feitos estudos com o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) do qual têm resultado várias intervenções de salvaguarda deste que é um dos ex-libris da Foz do Arelho e um dos locais mais visitados.

“É um importante elemento do nosso património natural, mas isso não trava a implacável erosão causada pelos elementos naturais, como a chuva, o vento e a ação de organismos biológicos, como a vegetação arbustiva e plantas. Cumulativamente, o desenvolvimento dos organismos e a presença de arvoredo na proximidade origina a deposição de detritos nas cavidades existentes”, referiu o Presidente da Câmara Municipal de Caldas da Rainha, Tinta Ferreira.


PUB.


As quedas e os desprendimentos de sedimentos resultam da abertura de fraturas e da diminuição da resistência da estrutura rochosa. Estas circunstâncias permitem a entrada e circulação da água, promovendo alterações que levam à desintegração da pedra.

A progressão e a intensificação destes processos determina também que a zona do arco e a face sudeste do hasteal rochoso, se encontram numa situação muito vulnerável, elegendo-se estes locais como alvos prioritários para a implementação de medidas das do tipo já realizadas em intervenções prévias.

Com esta operação, e tal como já fez no passado, o Município das Caldas da Rainha quer minimizar o risco de derrocada e assegurar a sua preservação de forma mais duradoura.

Nesta primeira fase os trabalhos custarão cerca de 50 mil euros e, naturalmente, serão realizados por uma empresa especializada nesta área.

Serão implementadas diversas e cirúrgicas ações e haverá aspetos que passarão mesmo por alguns testes para averiguar quais os procedimentos mais adequados tendo em conta que é fundamental preservar, no essencial, a identidade geológica e estética da formação.


PUB.


521 visualizações

1/9

1/10

1/6

1/8

onde comer

1/5

Periodicidade: Diária

10/1/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias