©2020 por Comércio & Notícias

  • comercioenoticias

BE APONTA O DEDO À GESTÃO AMBIENTAL NO CONCELHO DE ALCANENA


“É a população que paga a sua ineficiência” afirma a Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Santarém

A Comissão Coordenadora do Bloco de Esquerda de Santarém, liderada pelo deputado Carlos Matias, mostrou recentemente o seu desagrado para com a gestão ambiental da Câmara Municipal de Alcanena, salientando que “deve ser a autarquia a publicitar o plano de ação, investimento e cronograma, para reabilitar a ETAR que recebe os efluentes industriais e a regulamentação da receção de efluentes industriais. Tem de ser publico o cronograma de implementação das medidas corretivas nos estabelecimentos infratores”, refere aquela comissão.

Para Carlos Matias “a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) tem de clarificar se estão emitidas as autorizações de descarga dos efluentes da ETAR, bem como os limiares de quantidade e qualidade previstos. A APA deve integrar Alcanena na Rede de Medição de Qualidade do Ar”.

A Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda entende ainda que “a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) deve tornar público o parecer sobre o modelo de gestão de efluentes e sua adequabilidade e, ainda, sobre os níveis e qualidade dos serviços de tratamento de efluentes em Alcanena”.

O Bloco de Esquerda afirmou também mostrar-se solidário para com a população de Alcanena, “iremos bater-nos em todos os domínios pela qualidade de vida e pelo direito à saúde, como direitos humanos”, concluiu Carlos Matias.

“É a população que paga a sua ineficiência” afirma a Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Santarém

A Comissão Coordenadora do Bloco de Esquerda de Santarém, liderada pelo deputado Carlos Matias, mostrou recentemente o seu desagrado para com a gestão ambiental da Câmara Municipal de Alcanena, salientando que “deve ser a autarquia a publicitar o plano de ação, investimento e cronograma, para reabilitar a ETAR que recebe os efluentes industriais e a regulamentação da receção de efluentes industriais. Tem de ser publico o cronograma de implementação das medidas corretivas nos estabelecimentos infratores”, refere aquela comissão.

Para Carlos Matias “a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) tem de clarificar se estão emitidas as autorizações de descarga dos efluentes da ETAR, bem como os limiares de quantidade e qualidade previstos. A APA deve integrar Alcanena na Rede de Medição de Qualidade do Ar”.

A Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda entende ainda que “a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) deve tornar público o parecer sobre o modelo de gestão de efluentes e sua adequabilidade e, ainda, sobre os níveis e qualidade dos serviços de tratamento de efluentes em Alcanena”.

O Bloco de Esquerda afirmou também mostrar-se solidário para com a população de Alcanena, “iremos bater-nos em todos os domínios pela qualidade de vida e pelo direito à saúde, como direitos humanos”, concluiu Carlos Matias.

18 visualizações

1/9

1/7

1/4

1/7

1/6

onde comer

1/9
bannered.png

Periodicidade: Diária

10-04-2020

Banner Riomagic.jpg