• comercioenoticias

AZAMBUJA: PROJETO “PAÚL NATURA – CONHECER PARA PROTEGER” CONTINUA A DINAMIZAR ATIVIDADES


São muitas as atividades que continuam a ser desenvolvidas no âmbito do Projeto “Paúl Natura – Conhecer para Proteger”, que tem como objetivo estimular o conhecimento, a proteção e a preservação deste ecossistema único e tão rico para o concelho de Azambuja e para toda a região.

Foram várias as turmas dos três Agrupamentos de Escolas do Concelho de Azambuja que já visitaram o Paúl de Manique do Intendente, onde puderam observar diversas espécies de aves e participar numa sessão sobre a importância das diferentes espécies de flora na construção dos ninhos das aves, assim como, sensibilização para a gestão sustentável dos valores da bio e geodiversidade. Nestas visitas pedagógicas, foram também realizadas demonstrações de anilhagem das aves, onde foi possível observarem diferentes espécies e conhecerem a importância das suas características, alimentação e rotas migratórias, familiarizando os alunos com algumas técnicas utilizadas para o estudo das aves. Algumas turmas tiveram, também, a possibilidade de assistir a aulas online sobre som e ecologia acústica no local.

A Universidade de Terceira Idade do Concelho de Azambuja – UTICA, também participou numa sessão online de sensibilização para a gestão sustentável dos valores da bio e geodiversidade associadas ao Paúl de Manique e uma sessão de reflexão sobre as Memórias da Comunidade associadas ao Paúl, subordinada ao tema “No meu tempo é que era bom!”.

Com o mesmo objetivo, estão a decorrer ações de formação dirigidas aos professores (ACD - Ação de Curta Duração creditada pelo Centro de Formação CFAE Lezíria Oeste), para a importância dos valores naturais do Paúl de Manique e a gestão sustentável dos recursos de geo e biodiversidade.

No passado dia 26 de novembro, decorreu uma outra ação de sensibilização sobre a importância de preservar e proteger os espaços ribeirinhos, com vista à manutenção sustentável das zonas verdes adjacentes ao Paúl. Esta formação destinou-se sobretudo à equipa de limpeza da União de Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de S. Pedro e Maçussa, responsável pela manutenção e limpeza daquele espaço.

Após o seminário online, decorrido no passado dia 20 de novembro, subordinado ao tema “O valor das zonas húmidas no ordenamento do território – vantagens e dificuldades de gestão sustentável de zonas húmidas (exemplos nacionais)”, os participantes realizaram uma visita ao espaço, no dia 27 de novembro, contribuindo com diversas ideias numa reflexão conjunta de estratégias a implementar para definição, classificação e gestão futura da zona húmida.

Todas estas atividades desenvolvidas e propostas na candidatura, e alinhadas com as estratégias da ENEA 2020 (Estratégia Nacional de Educação Ambiental), consistem em auscultar a população, a comunidade escolar, os empresários, os agentes de comunicação social e os técnicos da administração local sobre o reconhecimento que têm dos valores naturais (bio e geodiversidade) e da sua importância para a gestão participada do território. O projeto tem como fio condutor a criação da futura “Reserva Natural Local do Paúl de Manique”, envolvendo a comunidade nessa tomada de decisão e em processo de apropriação dos valores da causa.


PUB.


Recorde-se que este projeto privilegia ações que contemplam a promoção do património natural – bio e geodiversidade, e do papel dos serviços prestados pelos ecossistemas, abarcando iniciativas de formação e capacitação, de sensibilização ambiental e de participação ativa da comunidade. O projeto “Paúl Natura – Conhecer para proteger” viu, recentemente, a sua candidatura ao Fundo Ambiental ser aprovada. Com um investimento total previsto de cerca de 68.000,00 euros, o programa será cofinanciado pelo Fundo Ambiental em 70%.

O Paúl de Manique do Intendente, localizado no Concelho de Azambuja, é uma área com cerca de 97 mil metros quadrados e constitui um riquíssimo património natural, de grande importância em termos de biodiversidade, nomeadamente em avifauna, já reconhecida a nível nacional. É um ecossistema com história e cerca de 18 hectares a proteger, com mais de 180 espécies identificadas, onde se podem encontrar cinco espécies simplesmente únicas, como o cágado-de-carapaça-estriada, o caimão-comum, a lontra, a cegonha-preta e o junco.

A Câmara Municipal tem vindo a apostar na valorização e promoção deste espaço, tendo recentemente avançado com a colocação de uma infraestrutura em madeira para observação da fauna e da flora do Paúl, com um investimento de cerca de 15.000,00 euros.


PUB.



34 visualizações0 comentário

1/10

1/9

1/7

1/7

1/6

onde comer

Periodicidade: Diária

1/27/2021

coronavirus.jpg
bannered.png

©2021 por Comércio & Notícias