Periodicidade: Diária

7/4/2022

  • comercioenoticias

AMNISTIA INTERNACIONAL RESGATOU DUAS REFUGIADAS UCRANIANAS EM RIO MAIOR


Segundo avançou ontem o Jornal Público a Amnistia Internacional resgatou no final da última semana duas refugiadas ucranianas que supostamente estariam a ser sujeitas a exploração laboral na Sociedade Panificadora Costa & Ferreira, com sede no Alto da Serra – Rio Maior.

Recorde-se que no passado mês de março esta empresa disponibilizou um autocarro seu para ir à fronteira da Polónia buscar refugiados ucranianos que procuravam fugir à guerra.

O mesmo jornal refere que “as mulheres tinham de fazer trabalho árduo e mais horas semanais do que aquelas que são permitidas por lei. Além disso, a renda da casa onde ficaram era-lhes descontada diretamente no ordenado”.

À TVI, a proprietária desmente qualquer abuso, “gastámos muito dinheiro com todo o gosto para trazer tanta gente para Portugal para terem melhores condições, e ela dizer que é uma escravidão vai ter que ir responder em tribunal”, refere Rita Costa.

Por sua vez, Pedro Neto, diretor executivo da Amnistia Internacional em Portugal, relatou à TSF que, “se as mulheres desistissem do trabalho, eram expulsas de casa”, acrescentando que “as trabalhadoras eram submetidas a uma enorme pressão para cumprir certos horários, para fazerem todos os trabalhos que eram impostos. Pessoas que não conhecem nada, não falam a língua e ficaram com bastantes receios".


PUB.


"Conseguimos localizar as senhoras e encaminhámos também este caso às autoridades para que possam fazer a investigação necessária, uma vez que nos pareceu que podem existir mais casos. Cabe às autoridades fazer essa investigação", revelou o diretor da Amnistia Internacional em Portugal.

O responsável sublinha que o tráfico humano e a exploração laboral são um fenómeno dramático e que os refugiados estão mais vulneráveis a este tipo de situações. Por isso, apela à denúncia sempre que existam suspeitas fundamentadas.

Pedro Neto apelou ainda: "Todas as pessoas que conheçam casos de exploração laboral, potencial exploração laboral ou tráfico de seres humanos não devem deixar de alertar as autoridades".

O SEF confirmou que recebeu 22 denúncias por alegados crimes de tráfico de pessoas. Já a autoridade para as condições do trabalho garante não ter conhecimento de qualquer caso de exploração de refugiados ucranianos.


PUB.


4.526 visualizações0 comentário

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/5

press to zoom
Lino Martins - site
Lino Martins - site

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/9

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/7

onde comer

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/12
telefonesuteis.jpg
bannered.png
Gina Morais.png
RIOGRAFICA.jpg