• comercioenoticias

13 DE JULHO DE 75: UMA DATA HISTÓRICA


A partir de março de 75, com Vasco Gonçalves como Primeiro-Ministro, apoiado por toda a Esquerda, foi nacionalizada a Banca, os Seguros, as grandes empresas e toda a Comunicação Social.

Foram ocupadas as estruturas da agricultura ao sul do Tejo, bem como muitas herdades do Alentejo e Ribatejo.

Era uma anarquia completa e o caos instalado no país! Estavam assim criadas as condições para uma Ditadura de Esquerda em Portugal.

O primeiro grito de revolta foi dado em Rio Maior precisamente às 12h00 do dia 13 de julho de 1975, quando mais de 300 agricultores se juntaram à porta do grémio da lavoura local a fim de impedir a sua ocupação.


PUB.


Meira Burguete descreve no seu livro “O caso de Rio Maior” como o jornal “Diário do Ribatejo” relatou os acontecimentos à época:

“Nos incidentes em Rio Maior foram destruídas as sedes do PCP e da FSP. As ruas encontram-se apinhadas de gente, vindo de todo o lado do Concelho, e das localidades vizinhas! Rio Maior quer a verdade na informação. Milhares de exemplares do Diário de Lisboa e do Diário Popular rasgados à sua chegada à vila (...)”

Viva o 13 de julho! Viva Portugal!

Artigo de Joaquim Nazaré Gomes


PUB.


132 visualizações

1/9

1/10

1/7

1/8

1/9

onde comer

1/5

Periodicidade: Diária

9/29/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias