• comercioenoticias

É POSSÍVEL VENDER ONLINE SEM TER UMA LOJA DIGITAL?

Atualizado: Set 25


A pandemia de Covid-19 e o confinamento obrigatório decorrente da declaração do Estado de Emergência a 18 de março, levou ao fecho compulsivo de muitos negócios “físicos” e a perdas económicas severas. A mitigação das consequências nefastas na economia passou, então, pela exploração do universo online com milhares de empresas a apostar no e-commerce como forma de recuperar os níveis de faturação.

As empresas não foram, contudo, as únicas afetadas. Atirados para o lay-off ou para o desemprego, milhares de portugueses viram no comércio digital uma boa forma de se reinventarem profissionalmente e/ou de comporem o orçamento familiar depauperado pelos efeitos da pandemia.

Como vender online sem que para isso se vejam obrigados a construir um site ou uma loja online de raiz, é uma das perguntas que mais assalta as mentes destes novos empreendedores digitais, mas a resposta é simples: sim, é possível vender online sem site. Nós explicamos como.

Vender online sem loja digital

Ao invés de investir numa loja online, quem se propõe entrar no mundo as vendas à distância sem site encontra nos marketplaces de redes sociais como o Facebook ou o Instagram uma preciosa ajuda. Plataformas de excelência para a divulgação de produtos e dar à sua marca um alcance verdadeiramente global, as redes sociais colocam à disposição do empreendedor digital uma série de ferramentas que o ajudam a alavancar as vendas e a gerir de uma forma eficaz não só as questões relacionadas com o agendamento de publicações, mensagens automáticas e analise de relatórios, como as estratégias de marketing.

Por exemplo, a solução Facebook Insights permite-lhe acompanhar métricas e perceber qual o seu consumidor tipo ajudando-o a aperfeiçoar os seus conteúdos, enquanto a ferramenta Facebook Ads dá-lhe a oportunidade de segmentar o seu público e fazer anúncios mais assertivos. Esta ferramenta funciona com base no micro-targetting que, após reunir as várias informações pessoais disponíveis no perfil dos utilizadores do Facebook, direciona os seus anúncios para o público mais passível de lhe comprar alguma coisa.

No caso do Instagram, com a solução Instagram Shopping é possível marcar os seus produtos com links da página de pagamento no Feed e nos Stories. Esta ferramenta funciona com recurso a tags (etiquetas) que permitem marcar produtos com preços e links que redirecionam o seguidor para a sua página no Facebook. Para que isso aconteça, basta que associe a sua conta comercial no Instagram a um catálogo do Facebook (Gestor de Negócios no Facebook Business), aguardar a aprovação e começar a utilizar.

Falamos do Facebook e do Instagram, mas redes sociais como o YouTube ou o LinkedIn também podem funcionar como instrumentos de venda online para quem não possuir um site. Um universo mais alargado de potenciais compradores, a possibilidade de interagir em tempo real com o público e, como vimos, as várias ferramentas que auxiliam o vendedor na estruturação de campanhas de marketing mais acutilantes e eficazes fazem com que cada vez mais pessoas façam das redes sociais uma boa solução de e-commerce.

Como receber Pagamentos Online sem uma loja digital?

Vender online sem site é, como vimos possível, mas existe uma outra questão que se reveste de importância capital para quem investe no e-commerce: como receber pagamentos online?

Socorremo-nos da REDUNIQ e da sua experiência no universo dos meios de pagamento online para responder a esta questão. Para quem não é detentor de uma loja de e-commerce, mas quer receber pagamentos como e-commerce, a REDUNIQ disponibiliza uma plataforma onde o comerciante cria um link, que pode ser gerado por email, SMS ou WhatsApp. O consumidor recebe o link, clica, e vai para uma página segura. Faz o pagamento e, nesse momento, o comerciante recebe um aviso a dizer que o pagamento foi realizado. De igual modo, o consumidor também consegue ver que o processo foi concluído com êxito.

Esta solução de pagamentos desenvolvida pela marca pertencente ao portefólio da Unicre dá pelo nome de REDUNIQ@Payments e foi uma das formas de pagamentos mais solicitadas durante a pandemia, até pela rapidez de implementação. Demora poucos dias a ser implementada e está disponível em cinco línguas.

Ao aderir a esta solução, o comerciante passa a poder aceitar pagamentos com cartões de débito e crédito (sistemas Visa e Mastercard) num montante máximo de cada transação por cartão/dia de 5.000€ para um total diário de 10.000€. Esta solução de pagamentos reconhece o tipo de browser e adapta-se automaticamente ao ecrã dos smartphones e tablets, sem ser necessário qualquer ajuste do comerciante sobre a página.

Quanto à segurança, requisito que está na lista de prioridades de comerciantes e consumidores, o @Payments vem com tecnologia 3D secure integrada, o que assegura que a transação é segura em todos as suas dimensões. Para além deste aporte de segurança, a REDUNIQ mantem, em permanência, vigilância a fraudes e/ou comportamentos potencialmente fraudulentos. Por exemplo, uma compra recorrente, do mesmo valor, três vezes seguidas, é bloqueada.

124 visualizações

1/9

1/10

1/8

onde comer

1/5

Periodicidade: Diária

10/31/2020

coronavirus.jpg
bannered.png

©2020 por Comércio & Notícias