Periodicidade: Diária

1/17/2021

coronavirus.jpg

1/9

1/11

1/7

1/7

1/6

onde comer

1/5
bannered.png

As micro e pequenas empresas da Lezíria do Tejo que pretendam realizar investimentos até 235 mil euros para expansão e modernização da produção, podem já candidatar-se ao Programa de Apoio à Produção Nacional, cujas candidaturas para este território também já abriram. As empresas interessadas em conhecer o Programa podem inscrever-se gratuitamente na sessão de esclarecimentos agendada pela NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém para a próxima segunda-feira, pelas 14h30.

A NERSANT vai realizar na próxima segunda-feira, pelas 14h30, uma sessão de esclarecimentos online de presença gratuita para dar a conhecer o Programa de Apoio à Produção Nacional, cujas candidaturas para o território da Lezíria do Tejo abriram no passado dia 14 de janeiro.

O aviso, que prevê apoiar investimentos de micro e pequenas empresas entre os 20 mil e os 235 mil euros, tem como objetivo estimular a produção nacional, pelo que terá enfoque no setor industrial e no setor do turismo. Neste contexto de necessidade de estimular a retoma económica, o Programa vem, assim, apoiar a aquisição de máquinas, equipamentos, serviços tecnológicos/digitais, sistemas de qualidade e sistemas de certificação que alterem os processos produtivos das empresas, apoiando-as na transição digital, na transição energética, na introdução de processos de produção ambientalmente mais amigáveis e que sejam, simultaneamente, um estímulo à produção nacional, de modo a promover melhoria da produtividade das empresas num contexto de novos modelos de negócios. O apoio no âmbito deste Programa de apoio pressupõe, no entanto, a manutenção dos postos de trabalho, não havendo, no entanto, a exigência de criação de novos.


PUB.


Para além destes objetivos e prioridades, a NERSANT vai esclarecer ainda os interessados em investir através do Programa de Apoio à Produção Nacional, relativamente à natureza dos beneficiários, à área geográfica dos investimentos e aos setores de atividade elegíveis. Serão ainda conhecidos na sessão de esclarecimentos online, os critérios de elegibilidade e seleção, taxas de financiamento e prazos para a submissão de candidaturas ao Programa.

Os interessados em participar gratuitamente na sessão de esclarecimentos online da NERSANT sobre o Programa de Apoio à Produção Nacional devem inscrever-se na área Agenda do portal da NERSANT, em www.nersant.pt.

De referir que o aviso de candidatura a este Programa termina às 18h00 do dia 15 de fevereiro, pelo que as empresas interessadas em beneficiar do apoio deste Programa devem submeter as suas candidaturas o quanto antes.


PUB.


  • comercioenoticias

Enquadrado nas comemorações do Feriado Municipal, teve lugar, no passado dia 13 de janeiro, na Biblioteca Municipal do Cadaval, o lançamento do 3.º Prémio Literário Fernanda Botelho, com inscrições abertas até 31 de março, e a apresentação da antologia de contos referente à segunda edição deste galardão bienal, que reuniu, em 2018, cerca de 200 participantes, oriundos de Portugal e do Brasil.

O Prémio Literário Fernanda Botelho constitui um concurso promovido pelo Município do Cadaval e Associação Gritos da Minha Dança, detentora do acervo da escritora Fernanda Botelho, que viveu parte da sua vida na aldeia da Vermelha (Cadaval).

Recorde-se que já a primeira edição do concurso (2016) havia totalizado perto de 380 participantes, oriundos de Portugal, mas também de fora do país, nomeadamente Brasil, Canadá, EUA, Bélgica e França.

A abrir a sessão, o Presidente da Câmara Municipal do Cadaval, José Bernardo Nunes, apontou ser importante a criação de «atividades que contribuam para o bem-estar intelectual da população e que promovam as capacidades de resiliência, tão necessárias atualmente».

O presidente da Câmara considerou ainda relevante «levar o nome do Concelho mais longe, associado à escritora homenageada e à associação que detém a sua memória». O edil defendeu também a importância de contribuir para a criação literária em língua portuguesa, bem como promover os bons hábitos de escrita junto dos jovens. Daí a criação, na transata edição, da modalidade juvenil do concurso, «que dá oportunidade aos jovens, dos 14 aos 18 anos, de dar asas à imaginação e iniciarem-se na cena literária», rematou.

A iniciativa, englobada nas comemorações do 123.º Aniversário da Restauração do Concelho, incluiu intervenções não presenciais (em vídeo) da diretora da Associação Gritos da Minha Dança, Joana Botelho, e da presidente do júri deste 3.º Prémio, Paula Morão, representante do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. O júri será ainda constituído pela escritora Rita Taborda Duarte e pela professora Alice Oliveira, do Agrupamento de Escolas do Cadaval.


PUB.


Intervieram ainda, também de forma não presencial, as vencedoras do 2.º Prémio, Vanessa Martins, Condeixa-a-Nova (categoria de adultos) e Maria Ferreira, Estoril (categoria juvenil). Recorde-se que entre a lista de premiados (divulgada anteriormente) constam ainda nove menções honrosas, três das quais provenientes do Brasil.

As vencedoras arrecadaram um prémio no valor de 1500 euros (modalidade de adultos), atribuído pela Câmara Municipal, e de 250 euros (modalidade juvenil), oferta do patrocinador da 2ª edição, a panificadora “Pão da Vermelha”.

Por seu turno, as inscrições no 3.º Prémio Literário Fernanda Botelho abriram oficialmente dia 13 de janeiro, prolongando-se até 31 de março.

As normas de participação estão já disponíveis no site municipal (www.cm-cadaval.pt), sendo que uma das novidades prende-se com o envio de contos, que passará a ser feito por email, nos termos previstos.


PUB.


  • comercioenoticias

A Unidade de Controlo Costeiro (UCC), através do Subdestacamento de Controlo Costeiro da Nazaré, hoje, dia 15 de janeiro, apreendeu no concelho de Porto de Mós mais de 600 quilos de pescada com o valor estimado de 6 240 euros.

No âmbito de uma ação de fiscalização, os militares detetaram um indivíduo em posse de 624 quilos de pescada sem que tivesse a medida mínima estipulada por lei para ser comercializada, resultando na sua apreensão.

Foi identificado um homem de 43 anos, tendo sido elaborado um auto de contraordenação, cuja coima pode atingir um valor máximo de 37 500 euros.


PUB.


O pescado apreendido, depois de submetido à verificação higiossanitária, foi entregue a várias instituições de solidariedade social.

A GNR alerta que uma medida de gestão sustentável do pescado é o respeito das medidas mínimas de captura, cujo objetivo é melhorar a rentabilidade potencial do recurso.


PUB.


©2020 por Comércio & Notícias