Periodicidade: Diária

11/25/2020

coronavirus.jpg

1/9

1/9

1/8

1/7

onde comer

bannered.png

Um homem de 75 anos foi hoje, 24 de novembro, encontrado morto, em casa, com marcas de ter sido amarrado nos pés e nas mãos, na localidade de Fervença, freguesia de Maiorga, no concelho de Alcobaça, informou a GNR que foi alertada por um familiar que vive perto da vítima.

O homem de 75 anos vivia sozinho e "foi encontrado morto, com sinais de ter sido amarrado nos pés e nas mãos, havendo indícios de que não se terá tratado de um suicídio", disse à agência Lusa Diogo Morgado, comandante do Destacamento Territorial da GNR de Caldas da Rainha.


PUB.


De acordo com o mesmo responsável, "foi alertada a Polícia Judiciária, que analisou o corpo e recolheu indícios no local".

O corpo do homem foi transportado para o serviço de Medicina Legal de Leiria, onde será autopsiado, encontrando-se a Polícia Judiciária a investigar as circunstâncias da morte.


PUB.



Um jovem de 26 anos de idade foi este domingo, 22 de novembro, detido pela GNR de Coruche, quando efetuava compras com a família num supermercado daquela vila, mesmo sabendo que se encontrava positivo para a Covid-19, desrespeitando assim as ordens médicas de recolhimento obrigatório, confirmou fonte do Comando da GNR.

A informação foi avançada pelo jornal local “Notícias do Sorraia” que adianta que “as autoridades foram alertadas, uma vez que este não acatou as indicações dos funcionários do estabelecimento para recolher ao seu domicílio”.


PUB.


Aquele jornal refere ainda que “ao chegarem ao local os militares identificaram o homem, procedendo depois à sua detenção por violação grave do dever de confinamento, sendo este depois conduzido à sua residência onde deverá permanecer até ter alta médica”.

Além de ter sido autuado, de acordo com a legislação em vigor, o infrator incorre no crime de propagação de doença contagiosa, uma vez que os factos foram remetidos ao Ministério Público.


PUB.



O Grupo de Dadores Benévolos de Sangue do Concelho de Azambuja vai assinalar o seu 40º aniversário com mais uma recolha de sangue. Desta feita, a iniciativa terá lugar na manhã de domingo, dia 29 de novembro, nas instalações da Poisada do Campino em Azambuja. A iniciativa conta com a colaboração e supervisão do Instituto Português do Sangue e da Transplantação.

A ação decorrerá entre as 09h00 e as 13h00, cumprindo com todas as orientações da Direção-Geral de Saúde e o devido distanciamento social.

Em simultâneo, o grupo dá continuidade à campanha de angariação de potenciais dadores de medula óssea. O primeiro passo desse processo consiste numa pequena colheita, destinada à análise das características do sangue, e no registo dessas características e da identificação do dador na base de dados nacional. A partir desse registo, o dador poderá ser convidado a efetuar uma dádiva destinada a uma pessoa que precise e com a qual seja compatível.


PUB.


Recorde-se que a atual situação epidemiológica, não possibilitou a realização destas colheitas, sentindo-se agora os níveis de sangue mais baixos, tanto nos hospitais como no Banco de Sangue. O grupo apela à participação de todos os associados e sensibiliza a população, em geral, para a necessidade de haver mais dadores e para o slogan do movimento, “dar sangue é dar vida”.


PUB.


©2020 por Comércio & Notícias