Periodicidade: Diária

1/18/2021

coronavirus.jpg

1/9

1/11

1/7

1/7

1/6

onde comer

1/5
bannered.png

Após ter aberto há quase seis anos na Rua da Nazaré, o arista riomaiorense Cristiano Neves inaugurou recentemente um novo estúdio de tatuagem, desta feita na conhecida Rua das Finanças (Rua Professor Manuel José Ferreira, 16 A), local onde irá celebrar em breve o sexto aniversário do estúdio Cris Neves Tattoo.

Cristiano Neves admite que são tempos complicados para este tipo de investimentos e mudanças, mas era algo que pretendia fazer há já algum tempo, e resolveu avançar, mesmo estando a meio de uma pandemia mundial e de mãos dadas com a crise no sector das tatuagens, devido aos confinamentos impostos pelo Governo.

Fica assim o convite para marcar e fazer a sua tatuagem neste novo espaço, mais agradável e com mais condições.

Contacto: 916 477 779

www.facebook.com/crisnevestattoo

www.crisneves.com

www.crisnevestattoo.com


289 visualizações0 comentário
  • comercioenoticias

O país, a crer nas notícias que vão escapando ao controle dos milhões pagos para iludir a realidade, está a ferro e fogo. Não existe nenhum sentido de responsabilidade e o sentido de estado há muito foi perdido. O povo, esse eterno culpado de todos os males, está entregue a si próprio e não responde/respeita estados de emergência pelo simples facto de já estar no último estado: o estado de “salve-se quem puder” e muito povo não pode. E como não pode, vai parar a sala de triagem onde, angustiadamente, se decide quem vive e quem vai morrer. As imagens do que vão chegando são de caos total e absoluto. Desde as filas de ambulâncias à porta das urgências hospitalares, até aos mais inacreditáveis relatos de exaustão das pessoas, que ainda assim e abnegadamente, tentam salvar o povo.


PUB.


Enquanto isso parece haver outro país e outro povo que se entretém em inusitada campanha eleitoral. Um circo onde se fala de gatos e cabras, de maquilhagem e outras palhaçadas. E também para este circo o povo é chamado. Por uns que afirmam ter o direito de pernada* (direito de que nunca prescindiram) sobre o povo e outros que agora chamam o povo como se estivessem num qualquer mercado a vender cobertores da Covilhã. E o povo farto do direito de pernada*, farto de ser culpado de tudo e de nada, cheio de frio e sobretudo medo, vai-se chegando aos vendedores de cobertores. Sempre fica mais agasalhado!

* Direito de pernada: o “direito de pernada” era o direito que o senhor feudal tinha de passar a primeira noite com as virgens que nasciam nos seus domínios.


Artigo de Opinião de Edgard Carvalho Gomes


PUB.


126 visualizações0 comentário
  • comercioenoticias

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou ao final da tarde desta segunda-feira, 18 de janeiro, que vão ser reforçadas as medidas de contenção da pandemia, “apesar dos danos que possam causar na economia”, porque segundo diz "cada um tem de fazer a sua parte para que no conjunto possamos recuperar o mais rapidamente possível os níveis de segurança na sociedade".

António Costa falou em conferência de imprensa, após a reunião do Conselho de Ministros extraordinário, que decorreu por videoconferência.

Recorde-se que apenas passaram quatro dias da entrada em vigor das medidas de confinamento geral. Segundo António Costa entre sexta-feira e domingo, “registou-se uma redução da movimentação das pessoas na ordem dos 30% em relação ao mesmo período da semana anterior”, ainda assim é um resultado que considera insuficiente. Não é aceitável este movimento de pessoas continue. Impõe-se clarificar normas de restrição da circulação e alargar o quadro restritivo das medidas", declarou António Costa, reforçando que atravessamos "o momento mais grave da pandemia".

Ainda não foi revelada a data oficial da entrada em vigor das novas medidas impostas, tendo António Costa referido que “as autoridades vão apertar a fiscalização”.


PUB.


Conheça as principias medidas que irão entrar em vigor:

- Proibição de circulação entre concelhos aos fins de semana no território continental;

- Fecho dos espaços de restauração em centros comerciais, mesmo para serviço take-away;

- Proibidas campanhas de saldos e promoções;

- Proibida a venda de bebidas (incluindo cafés), ao postigo;

- Proibida a permanência em jardins:

- Trabalhadores em teletrabalho passam a precisar de credencial da entidade empregadora para puderem circularem;

- Encerramento das universidades seniores, centros de dia e de convívio;

- Supermercados e hipermercados aos fins de semana passam a encerrar às 17h00.


PUB.



©2020 por Comércio & Notícias